Weintraub tem passaporte diplomático desde julho de 2019

Na sexta-feira (19), Weintraub disse que tinha pressa para sair do Brasil por ameaças de morte. “Prioridade total é que eu saia do Brasil o quanto antes"

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
20 de junho de 2020 às 11:45 | Atualizado 20 de junho de 2020 às 11:58
 

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, tem passaporte diplomático emitido desde julho de 2019. Essa categoria de passaportes não costuma ter uma validade maior do que os comuns, que é de dez anos.

O fato de ele ir para um posto no Banco Mundial também dá a Weintraub o direito de um passaporte diplomático -- ou seja, mesmo após a exoneração do Ministério da Educação, ele poderá continuar a utilizar o documento.

Na manhã deste sábado (20), Arthur Weintraub, irmão de Abraham, publicou em uma rede social que o ex-ministro já estaria nos Estados Unidos. 

A informação foi confirmada à CNN pelo MEC, que deu como destino da viagem de Weintraub a capital norte-americana, Washington, onde ele irá se instalar para ocupar uma diretoria no Banco Mundial, por indicação de Jair Bolsonaro.

A chegada de Weintraub aos EUA acontece dois dias após o anúncio de sua saíde do Ministério da Educação. Ao lado do presidente da República, o ministro comunicou que deixava o cargo em um vídeo publicado nas redes sociais.

Após Arthur Weintraub divulgar nas redes sociais que o ex-ministro estava nos Estados Unidos, o Diário Oficial da União publicou, em uma edição extra, a exoneração de Abraham.

Na sexta-feira (19), Weintraub disse à CNN que tinha pressa para sair do Brasil por receber ameaças de morte. “A prioridade total é que eu saia do Brasil o quanto antes”, afirmou.