Após deixar isolamento, Bolsonaro vai à casa da deputada Bia Kicis

Parlamentar do PSL foi dispensada da vice-liderança do governo no Congresso após votar contra a PEC do Fundeb

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
25 de julho de 2020 às 11:36 | Atualizado 26 de julho de 2020 às 08:59

Depois de testar negativo para o novo coronavírus e deixar o isolamento no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi até a casa da deputada Bia Kicis (PSL-DF), em Brasília, na manhã sábado (25).

No perfil que mantém no Twitter, a parlamentar publicou uma foto da visita. "Comecei o dia com a visita surpresa do Presidente @jairbolsonaro em minha casa. Uma gesto que simboliza os laços de amizade e alinhamento que nos unem e que seguem firmes. Apreciei muito essa surpresa".

Bia Kicis – segunda da esquerda para a direita – recebeu visita surpresa de Bolsonaro neste sábado
Foto: Reprodução/ Twitter

Nesta semana, Kicis foi retirada da vice-liderança do governo no Congresso Nacional após votar contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) do Fundeb.

A decisão foi informada ao Congresso por meio de uma mensagem assinada por Bolsonaro e publicada em edição extra do Diário Oficial da União. O presidente disse ainda que os deputados que votaram contra o Fundeb deveriam explicar a escolha.

Assista e leia também:

Bolsonaro testa negativo para o novo coronavírus

Bia Kicis não teve o 'prestígio merecido', diz líder do PSL no Congresso

"Foi uma votação quase unânime, seis ou sete votaram contra. Os que votaram contra têm seus motivos, só perguntar para eles por que", afirmou Bolsonaro, em conversa com apoiadores em Brasília na quarta-feira (22). 

Além de Bia Kicis, outros quatro deputados foram contra a proposta nos dois turnos de votação: Chris Tonietto (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio Amaral (PSL-MG) e Paulo Martins (PSC-PR). Todos são apoiadores do presidente Bolsonaro.

Mesmo após a saída da vice-liderança, a deputada disse à CNN que mantém o apoio ao presidente. "Sigo firme apoiando o presidente', disse na tarde de quinta-feira (23). Ela, porém, declarou ter ficado "surpresa" com a destituição. 

(Com informações Caroline Rosito, da CNN, em Brasília)