Com licença de Celso de Mello, recurso do CNMP sobre caso Deltan fica com Gilmar

Mendes é um dos principais críticos dos métodos usados pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
19 de agosto de 2020 às 18:30

A licença do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), para tratamento de saúde tende a ter impacto direto no destino do procurador Deltan Dallagnol no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). 

Com o afastamento do decano, o recurso que será apresentado pelo CNMP para a retomada do julgamento de dois procedimentos disciplinados contra o coordenador da Lava Jato em Curitiba será distribuído ao ministro Gilmar Mendes, um dos principais críticos dos métodos usados pela força-tarefa.

Leia também:

Ministro Celso de Mello tira licença do STF

Conselho do MP vai recorrer de decisão de Celso de Mello que beneficiou Deltan

Quem são os próximos ministros a deixar o STF

A redistribuição da relatoria do caso Deltan no Supremo dá novo fôlego à ala do CNMP que pretende impor uma punição ao coordenador da Lava Jato em Curitiba.

O despacho de Celso de Mello, que, na segunda-feira (17), impediu a análise dos processos que poderiam afastar Deltan do comando da força-tarefa, surpreendeu integrantes do conselho e foi mal recebido por uma ala do Supremo. 

A expectativa agora é a de que, tão logo o recurso do CNMP seja apresentado ao tribunal, Gilmar reconsidere a decisão sem precisar levar a discussão ao plenário.