Bolsonaro resiste a aproximação imediata com governador interino do Rio

Presidente quer aguardar o avanço das investigações contra Castro, que foi alvo de mandado de busca e apreensão na última sexta-feira (28)

Por Igor Gadelha, CNN  
31 de agosto de 2020 às 07:55 | Atualizado 31 de agosto de 2020 às 12:20

O presidente Jair Bolsonaro resiste a uma aproximação imediata com o governador interino do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), como o político fluminense deseja.

Bolsonaro quer aguardar o avanço das investigações contra Castro, que foi alvo de mandado de busca e apreensão na última sexta-feira (28), na mesma operação que afastou o governador Wilson Witzel.

Leia também:
Com dinheiro de fraudes, Witzel planejava comprar rádio, diz delator
Antes de ser afastado, Witzel tentou conversar com Bolsonaro

O vice-governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A auxiliares, o chefe do Planalto ponderou que não quer repetir o mesmo erro cometido com Witzel, que foi apoiado por Bolsonaro nas eleições de 2018, mas rompeu politicamente com o presidente depois.

Como a coluna antecipou na sexta-feira, em um aceno em busca de governabilidade, Castro avisou a aliados que pretende deixar o PSC e buscar uma aproximação com Bolsonaro.

O governador interino quer se encontrar com o presidente já nos próximos dias para discutir a manutenção do Regime de Recuperação Fiscal do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo auxiliares, a ideia de Castro é ir a Brasília na próxima semana para tratar do assunto. Com a resistência de Bolsonaro, pretende se reunir com integrantes do Ministério da Economia.