PGR deve pedir anulação de parte da operação contra Serra


Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
02 de setembro de 2020 às 18:54 | Atualizado 02 de setembro de 2020 às 20:21

A Procuradoria-Geral da República deverá pedir ao Supremo Tribunal Federal que desconsidere a busca e apreensão feita pela Polícia Federal no Congresso Nacional na operação que investiga os crimes de caixa 2, corrupção e lavagem de dinheiro do senador José Serra. 

A ideia é tentar garantir que toda a investigação contra ele seja preservada, em especial após o ministro do STF Gilmar Mendes ter avocado para si o inquérito que tramita em São Paulo. Na sua avaliação, os investigadores usurparam o poder da corte ao fazer a operação.

Assista e leia também:

Serra chama operação da PF de 'abusiva' e lamenta 'espetacularização'

PF cumpre mandados em ação que investiga caixa 2 de Serra em campanha eleitoral

Senado barra entrada de PF no gabinete de José Serra

STF recebe reclamação do Senado por ação da PF contra José Serra

O problema é que o crime prescreve na semana que vem e há a expectativa de que, como esse crime deu origem aos outros dois (lavagem e corrupção), a defesa do senador passe a pedir toda a anulação da investigação. 

Diante disso, a ideia da PGR é anular a parte da investigação referente a todos os atos de Serra posteriores a 2015. Isso porque, segundo os investigadores, a maior parte da investigação se concentra no período em que ele era governador de São Paulo e que, portanto, é o local ideal para investigá-lo.

José Serra

Senador José Serra (PSDB-SP) discursa no plenário

Foto: Moreira Mariz/Agência Senado (15.abr.2015)