Sem coligação, PT lança Jilmar Tatto a prefeito de SP e adia escolha de vice

O candidato petista a prefeito será o ex-deputado Jilmar Tatto

Guilherme Venaglia e Felipe Boldrini, da CNN, em São Paulo
12 de setembro de 2020 às 17:46 | Atualizado 17 de setembro de 2020 às 17:17
Jilmar Tatto
O ex-deputado Jilmar Tatto, candidato do PT a prefeito de São Paulo
Foto: Divulgação/PT

O PT realizou neste sábado (12) a sua convenção municipal em São Paulo, que confirmou a candidatura do ex-deputado federal Jilmar Tatto a prefeito da capital paulista. 

Tatto foi escolhido como candidato após vencer, nas prévias disputadas em maio, o ex-ministro da Saúde e deputado Alexandre Padilha. 

Jilmar Tatto foi deputado estadual e federal e secretário municipal de Transportes nas últimas duas gestões petistas, de Marta Suplicy (hoje no Solidariedade) e de Fernando Haddad. Em 2018, Tatto concorreu ao Senado e terminou em sétimo lugar, com 6% dos votos.

Pela primeira vez em 35 anos, os petistas disputarão o pleito municipal sem aliança com nenhum outro partido político. 

Aliados tradicionais do PT na cidade escolheram outros caminhos. O PCdoB lançou a candidatura do deputado Orlando Silva, enquanto o PSB e o PDT se uniram em torno do ex-governador Márcio França (PSB).

Havia a expectativa de que o partido anunciasse no evento o nome da candidata a vice-prefeita. O partido optou pela historiadora Selma Rocha para concorrer como parceria de chapa de Jilmar Tatto, mas uma questão jurídica adiou o anúncio da escolha.

Assista e leia também:
PSDB confirma candidatura de Covas à reeleição em aliança com MDB e DEM
De olho em 2022, PDT de Ciro anuncia apoio a Márcio França em SP

Selma está contratada como professora temporária da USP e o partido precisa confirmar que a acadêmica pode concorrer mesmo sem ter se desincompatibilizado do trabalho na universidade. A legenda acredita que ela possa ser a vice por não ser servidora efetiva, mas aguardará uma resposta. 

O prazo para a definição de chapas se encerra na quarta-feira (16).

Candidaturas

Neste sábado (12), o PDT oficializou o apoio à Márcio França e a candidatura do sindicalista Antonio Neto, presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), a vice-prefeito.

O PSDB aprovou a aliança com o MDB e outros sete partidos, formando a chapa que terá o prefeito Bruno Covas (PSDB) como candidato à reeleição e o vereador Ricardo Nunes (MDB) concorrendo a vice-prefeito.

Além de Tatto, Covas, França e Orlando Silva já foram confirmadas as candidaturas de Guilherme Boulos (PSOL), da deputada federal Joice Hasselmann (PSL), dos deputados estaduais Arthur do Val (Patriota) e Marina Helou (Rede), do ex-vereador Andrea Matarazzo (PSD) e de Levy Fidélix (PRTB).