Dói ser brasileiro ao ouvir Fux reconhecer 'deboche' de André do Rap, diz Garcia

Sidney Rezende e Alexandre Garcia comentam política no quadro Liberdade de Opinião, da CNN 

Da CNN
15 de outubro de 2020 às 10:46 | Atualizado 15 de outubro de 2020 às 10:55

 

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (15), Alexandre Garcia analisou a decisão da maioria do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) de manter a prisão preventiva de André do Rap, chefe da facção criminosa PCC. O jornalista concordou com a análise feita pelo presidente da Corte, ministro Luiz Fux, que votou para manter a decisão dele contra a soltura do traficante. De acordo com Fux, ele "debochou da Justiça". Veja também a participação de Sidney Rezende.

"[O resultado da análise do STF] é uma reprovação a ele [ministro Marco Aurélio]. Mas o pior é a gente ter que viver para ouvir o que disse o ministro Fux, presidente do Supremo. Dói ser brasileiro ao ouvir o que disse o ministro da Suprema Corte do país, que acaba de reconhecer que um traficante debochou da Justiça brasileira. E a cúpula se reúne para decidir sobre o habeas corpus de um traficante", opinou Garcia.

E continua: "Não é algo que seja decidido na primeira instância, dando a devida importância ao caso, mas é um caso que vai à Corte Constitucional. E ele reclama que o traficante não foi leal e saiu. Ou seja, o traficante continua a debochar desta ingenuidade da Justiça brasileira. (...) O traficante debochou da Justiça brasileira e a Justiça está debochando do brasileiro ao agir assim, com essa omissão e falta de responsabilidade em relação aquilo ao que a sociedade deseja", disse. 

Leia também:
Fux deve enviar para o plenário do STF caso de André do Rap
Plenário do STF pode decidir sobre caso de traficante do PCC que está foragido
O Grande Debate: Soltura de traficante é problema da lei ou da Justiça?

Alexandre Garcia
Foto: Reprodução/CNN

O jornalista também avaliou a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concedeu habeas corpus coletivo para soltar todos os presos que têm direito a pagar fiança para sair da cadeia, mas não conseguiram quitar o valor até agora.

Esta foi uma resposta a pedido da Defensoria Pública do Espírito Santo, baseada no risco que os presídios representam na disseminação do novo coronavírus.

Por fim, o comentarista analisou as consequências políticas após racha no chamado 'Centrão'. Os partidos PTB e PROS formalizaram aliança com o PSL e agora representam segundo maior bloco na Câmara, com 61 deputados.

O movimento desidrata ainda mais o bloco do Centrão porque, no final de julho, o MDB e o DEM já haviam decidido romper a aliança. 

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.