Cristiane Brasil deixa prisão após conseguir libertação na Justiça


Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
15 de outubro de 2020 às 15:20 | Atualizado 15 de outubro de 2020 às 19:07

Desembargadores da 5ª Camara Criminal do Rio concederam liberdade para a ex-deputada federal Cristiane Brasil, presa desde o dia 11 de setembro por supostos desvios em contratos de assistência social celebrados pela prefeitura e governo do Rio. Ela deixou a prisão no início da noite desta quinta-feira (15).

O esquema investigado envolve o desvio de recursos da Fundação Leão XIII, que presta serviços à pessoas pobres no estado do Rio.

Cristiane Brasil e Pedro Fernandes, ex-secretário de Educação do governo do Rio, serão soltos e terão que cumprir algumas medidas cautelares, como comparecimento mensal em juízo, proibição de acesso às empresas investigadas e de manterem contato entre si. Também não poderão manter contato com qualquer funcionário da Fundação Leão XIII. 

Leia e assista também

Cristiane Brasil contrata filha de desembargador para tentar sair da cadeia

PTB desiste de candidatura de Cristiane Brasil após Justiça negar liberdade

O pedido analisado pelos desembargadores foi feito pela defesa de Pedro Fernandes. A CNN mostrou, na semana passada, que Cristiane Brasil contratou a filha do desembargador fluminense Cairo Ítalo França David. Ele é presidente da 5ª Câmara Criminal da Justiça do Rio, mas não participou do julgamento que colocou Cristiane Brasil em liberdade. 

Há uma semana a Justiça do Rio havia negado o pedido de Cristiane Brasil para ir para prisão domiciliar. A defesa havia alegado que  ela faz parte do grupo de risco para coronavírus. A filha de Roberto Jefferson, presidente do PTB, alegou fazer tratamento psiquiátrico desde 2018, mas a juíza Simone de Faria Ferraz, da 26a Vara Criminal do Rio, entendeu que ela deveria permanecer no presídio.