Conexão CNN: briga sobre Coronavac mostra incapacidade de políticos se unirem

Para Leandro Resende, politização em torno da distribuição da Coronavac entre Jair Bolsonaro e João Doria é muito grave

Da CNN
22 de outubro de 2020 às 10:34

 

No quadro Conexão CNN desta quinta-feira (22), na CNN Rádio, Leandro Resende analisa a politização em torno da possibilidade de o governo federal comprar e distribuir a Coronavac, vacina contra a Covid-19.

“Essa briga em torno da Coronavac, chamada pelo presidente e seus apoiadores, de "vacina chinesa", é talvez a maior prova nessa briga envolvendo Jair Bolsonaro (sem partido) e João Doria (PSDB), de que as nossas autoridades ao longo de toda a pandemia tiveram uma incapacidade de alinhar um discurso e dizer à população tanto o que fazer para se proteger e também, agora, para mostrar uma solução, uma saída para essa crise tão grave”, analisou.

Ele afirmou que essa politização do tema é muito grave e que a justificativa de Bolsonaro para recusar o imunizante por não ter comprovação na prática, significa descartar, neste momento, todas as vacinas porque nenhuma delas já foi chancelada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pelo Ministério da Saúde ou pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Assista e leia também:
Bolsonaro: Pazuello fica, e decisão do governo sobre Coronavac é definitiva
Doria: Vamos esperar 48 horas por recuo do governo federal sobre Coronavac
Waack: politização da vacina é prejudicial ao interesse do público

“Estamos vendo na arena pública uma briga muito grande entre os governadores e o presidente Bolsonaro. Uma briga dos governadores encabeça por Doria, que é potencial adversário do presidente nas eleições de 2022”, disse Resende.

E, no meio dessa disputa eleitoral, ficam as vidas dos brasileiros que estão na torcida para que saia uma vacina logo, comprovada, testada cientificamente, seja de onde for.”

O jornalista também falou do fato de o governo do Rio de Janeiro ter evitado se posicionar sobre a disputa para manter as boas pontes estabelecidas com Brasília depois que Cláudio Castro assumiu interinamente o Executivo estadual.

“A posição do governador do RJ, Cláudio Castro, é de não entrar nessa disputa política envolvendo a vacina, [mas] ele diz a seus interlocutores, porém, que assim que sair uma vacina a população do Rio de Janeiro vai ser vacinada.”

Leandro Resende, Thais Arbex e Iuri Pitta apresentam o Conexão CNN, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil

(Edição: André Rigue)