Waack: Bolsonaro criou uma crise do nada e seguiu pisando no acelerador

Presidente começou comemorando paralisação de teste de medicamento que pode salvar milhões; depois, fez comentários sobre pandemia que irritou governadores

Da CNN
11 de novembro de 2020 às 09:15

No quadro CNN Poder desta quarta-feira (11), na CNN Rádio, William Waack analisa as recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), recebidas de forma muito crítica, mas que mostram como funciona seu governo.

“Foi uma aula de governo Jair Bolsonaro o que aconteceu nessas últimas 24 horas. Ele tirou do nada uma crise: foi responder a um seguidor numa rede social e adotou postura de causar indignação e asco, que é comemorar a paralisação dos testes de um remédio no qual milhões de pessoas estão amarrando esperança”, disse o jornalista.

“Não é hora de brincar com isso. Paralisar os testes de um remédio para ter vantagem política?”, questionou. Para Waack, no entanto, Bolsonaro não ficou satisfeito e continuou “enfiando o pé no acelerador”. 

Assista e leia também:
Falas de Bolsonaro são aceno à ala ideológica na véspera das eleições
Bolsonaro critica proposta de Biden sobre Amazônia: "só diplomacia não dá"
"A pandemia foi superdimensionada", diz Bolsonaro

“É uma suposição minha: à medida que as reações negativas foram se acumulando, ele, daquele jeito dele, resolveu peitar as reações. E, aí, só piorou: conseguiu puxar o STF para essa crise que não existia. Conseguiu que os governadores se voltassem contra ele e fizessem os secretários de saúde assinarem uma nota muito crítica em relação ao governo”, disse. 

“E conseguiu provocar os EUA também, mas aí já foi para o ridículo ao dizer que 'se acabar a saliva, vamos para a pólvora'. Uma piada velha, declarar guerra aos EUA esperando que eles ganhem.”

Wack disse ainda discordar da fala do presidente de que o Brasil é um “país de maricas” porque fala demais da pandemia e fica muito preocupado com a prevenção da doença..

“Eu não acho que o Brasil é um país de maricas. Ao contrário. Se a gente pegar milhões de brasileiros e como eles 'ralam' pra sobreviver, na verdade nós temos um país de milhões de abnegados que lutam e tentam levar sua vida apesar do que o Estado, do que sucessivos governos, fazem para atrapalhar.”