Câmara do Rio terá renovação de um terço e maior presença feminina

Apesar de 17 novos integrantes entre os 51 eleitos, alguns ex-parlamentares conseguiram retornar para o Legislativo

Stéfano Salles, da CNN no Rio
16 de novembro de 2020 às 12:53 | Atualizado 16 de novembro de 2020 às 17:53


A eleição municipal proporcionou mudanças em um terço das cadeiras da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Entre os 51 eleitos para um mandato no Palácio Pedro Ernesto, apenas 17 não fazem parte da atual legislatura, cerca de 33%. Mas nem todo esse grupo representa exatamente renovação. Isto porque, entre eles, há dois ex-parlamentares que estão voltando para o Legislativo carioca: Laura Carneiro (DEM) e Chico Alencar (PSOL). Ao todo, os eleitos representam 22 partidos.

O índice histórico de abstenção afetou até mesmo as candidaturas mais votadas. Filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) foi o segundo mais votado, com 71 mil votos. Renovou o mandato com facilidade, mas obteve 36 mil votos a menos que há quatro anos, quando foi o preferido do eleitorado carioca. Tarcísio Motta, do PSOL, teve 86 mil votos e foi o mais votado da disputa, mesmo com cerca de quatro mil votos a menos que em 2016.

Leia também:
Veja os resultados da eleição no Rio
Bolsonaro avalia mudança de estratégia em segundo turno
Republicanos, PSOL e DEM serão maiores bancadas de vereadores no Rio
Quem os candidatos derrotados vão apoiar no 2º turno no Rio de Janeiro

Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro
Foto: Renan Olaz/CMRJ


Uma das novidades da eleição foi o terceiro lugar do ex-policial militar e youtuber Gabriel Monteiro (PSD), eleito com 60 mil votos. Ficou à frente do ex-prefeito César Maia (DEM), quarto colocado, e do ex-deputado federal Chico Alencar (PSOL), quinto. Viúva da ex-vereadora Marielle Franco, a arquiteta e urbanista Mônica Benício também se elegeu, pelo PSOL, como a 11ª mais votada.

Maior presença feminina


A representação feminina também aumentou na Câmara Municipal, passando de sete para dez vereadoras. Na próxima legislatura, as vereadoras serão: Rosa Fernandes (PSC), Tainá de Paula (PT), Mônica Benício (PSOL), Teresa Bergher (Cidadania), Vera Lins (PP), Tânia Bastos (Republicanos), Verônica Costa (DEM), Luciana Novaes (PT), Laura Carneiro (DEM) e Thais Ferreira (PSOL).

Boa parte dessa mudança se dá com a chegada de mulheres negras ao Palácio Pedro Ernesto, casos de Tainá de Paula e Thais Ferreira.

Desafio para o próximo prefeito


A correlação de forças na Câmara será diferente na próxima legislatura: três partidos sozinhos terão perto da metade das cadeiras. Republicanos, DEM e PSOL terão sete vereadores cada, somando 21 dos 51 assentos.

Independentemente de quem seja o próximo prefeito do Rio, Eduardo Paes ou Marcelo Crivella, ele terá dificuldades com a Câmara Municipal e precisará ampliar seu espectro de alianças para governar com o Legislativo. Os partidos das duas coligações formadas para apoiar as candidaturas de prefeito no primeiro turno elegeram o mesmo número de vereadores: 13. É a metade do necessário para aprovação de projetos que precisam se maioria simples: 26 vereadores.

A lista abaixo mostra os vereadores eleitos pelo Rio de Janeiro, com partido e votação, mas essa configuração pode mudar, conforme sejam julgados os recursos de candidatos que tiveram suas candidaturas indeferidas e, por consequência, seus votos anulados. Isto porque a inclusão de novos votos válidos modifica o quociente eleitoral, responsável por determinar o número de votos que cada partido precisa fazer para eleger um vereador.

Entre os rostos mais conhecidos, está nessa situação o ex-senador Lindbergh Farias, o mais votado do PT, com 24.912 votos.

Vereadores eleitos no Rio de Janeiro


Tarcísio Motta (PSOL): 86.243 votos
Carlos Bolsonaro (Republicanos): 71.000
Gabriel Monteiro (PSD): 60.326
Cesar Maia (DEM): 55.031
Chico Alencar (PSOL): 49.422
Marcos Braz (PL): 40.938
Rosa Fernandes (PSC): 26.409
Carlo Caiado (DEM): 26.212
Tainá de Paula (PT): 24.881
Luciano Vieira (Avante): 24.070
Monica Benício (PSOL): 22.919
Inaldo Silva (Republicanos): 21.885
Teresa Bergher (Cidadania): 21.131
Felipe Michel (PP): 20.936
João Mendes de Jesus (Republicanos): 20.811
Junior da Lucinha (PL): 19.732
Marcio Ribeiro (Avante): 19.383
Vera Lins (PP): 19.242
Tânia Bastos (Republicanos): 19.027
Thiago K. Ribeiro (DEM): 18.960
Rafael Aloisio Freitas (Cidadania): 18.851 votos
Jorge Felippe (DEM): 18.507
Verônica Costa (DEM): 17.939
Alexandre Isquierdo (DEM): 17.764
Reimont (PT): 16.082
Jairinho (Solidariedade): 16.061
Luiz Carlos Ramos Filho (PMN): 15.602
Luciana Novaes (PT): 15.311
Willian Coelho (DC): 15.126
Dr Carlos Eduardo (Podemos): 15.026
Paulo Pinheiro (PSOL): 14.760
Ulisses Marins (Republicanos): 14.660
Laura Carneiro (DEM): 14.646
Thais Ferreira (PSOL): 14.284
Zico (Republicanos): 13.964
Jair da Mendes Gomes (PROS): 13.595
Wellington Dias (PDT): 13.327
Marcelo Arar (PTB): 12.330
Jones Moura (PSD): 11.597
Renato Moura (Patriota): 10.588
Celso Costa (Republicanos): 10.523
Dr João Ricardo (PSC): 10.227
Pedro Duarte (Novo): 10.069
William Siri (PSOL): 9.957
Dr Gilberto (PTC): 9.445
Rocal (PSD): 9.280
Dr Marcos Paulo (PSOL): 9.009
Waldir Brazão (Avante): 8.332
Marcio Santos de Araujo (PTB): 7.467
Rogério Amorim (PSL): 6.719
Vitor Hugo (MDB): 5.423