Rezende: Se brasileiros não aceitarem a vacina, vamos seguir vivendo a doença

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende comentou a fala do presidente da República sobre a compra de vacinas contra a Covid-19

Da CNN, em São Paulo
15 de dezembro de 2020 às 10:24


No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (15), Sidney Rezende repercutiu a fala do presidente Jair Bolsonaro sobre liberar R$ 20 bilhões para a compra de vacinas contra a Covid-19. Bolsonaro também afirmou que a população terá que assinar um termo de responsabilidade antes de tomar o imunizante.

"Esse tom negacionista do presidente, até evito usar essa expressão, mas essa maneira que ele utiliza [de falar] é como um balanço: ele libera o dinheiro, que é ótimo, mas ao mesmo tempo coloca uma suspeição. Ainda que não seja obrigatória, tem um fator muito importante que o presidente deveria estar sensível. Se nós tivermos uma proporção muito expressiva de brasileiros que não aceita a vacina, vamos continuar vivendo com a doença pelos próximos anos", disse Rezende.

Leia também:
Vacinas da Pfizer e da Moderna funcionam como mensagem do Snapchat; entenda
Jair Bolsonaro deve liberar R$ 20 bilhões para compra de vacinas
Fiocruz diz que Brasil não tem tecnologia para produzir vacina da Pfizer
Reino Unido identifica nova variante de coronavírus que se espalha mais rápido

"O presidente deveria refletir um pouco porque não é boa essa insinuação da não-eficácia da vacina e ainda criar esse obstáculo da assinatura de um documento sob o argumento de que a Pfizer não se responsabiliza e, portanto, seria mais um motivo para se temer [a vacinação]", completou.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (15.dez.2020)

(Publicado por: André Rigue)