RJ: Posse de Jorge Felippe na prefeitura faz aliada de Crivella assumir a Câmara

Tânia Bastos (Republicanos) vai para a presidência da Câmara. No entanto, o ano legislativo já foi encerrado na casa no dia 15 de dezembro

Stéfano Salles, da CNN, no Rio
22 de dezembro de 2020 às 09:41
Tânia Bastos (Republicanos) assume a presidência da Câmara Municipal do Rio
Foto: Divulgação/Tânia Bastos/Twitter

Com a prisão do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), a nove dias do fim do mandato, quem assume interinamente o Palácio da Cidade é o presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (DEM). Isto, porque o município não tem um vice-prefeito, já que o eleito para o cargo, o engenheiro Fernando MacDowell, morreu em 2018. Essa mudança provoca também uma dança das cadeiras na Câmara Municipal.

A ida de Jorge Felippe para a Prefeitura do Rio leva à presidência da Câmara uma aliada de Marcelo Crivella, Tânia Bastos (Republicanos). No entanto, o ano legislativo já foi encerrado na casa no dia 15 de dezembro, com a aprovação do orçamento de 2021. Portanto, não há agendas oficiais previstas até a posse de Eduardo Paes, no dia 1º de janeiro de 2021.

Leia também:
Em entrevista à CNN em novembro, Crivella afirmou que QG da Propina era 'fofoca'
Após prisão de Crivella, Paes diz que trabalho de transição está mantido
'Fui o governo que mais atuou contra corrupção no Rio', diz Crivella após prisão

Tânia Bastos é vereadora de terceiro mandato, tem reduto político na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, e é presidente municipal do Republicanos. Para a próxima legislatura, foi reeleita como a 20ª candidata mais votada na eleição de novembro, com 19.027 votos.

Embora a posse de Eduardo Paes aconteça no Palácio Pedro Ernesto, sede da Câmara Municipal, não deve ser Tânia Bastos quem deve empossá-lo para o terceiro mandato como prefeito. Isto porque o rito, no dia 1º, começa pela eleição da Mesa Diretora da nova legislatura. Neste momento, há uma tendência de eleição do vereador Carlo Caiado (DEM) para a presidência.

A posse do novo prefeito será dada pelo presidente eleito da Câmara, já na nova legislatura, de 2021/2024. Depois da posse, o Legislativo volta para o recesso, que só termina em 15 de fevereiro.