Alexandre de Moraes suspende depoimento de Witzel no processo de impeachment

Moraes atendeu a pedido da defesa de Witzel que alegou falta de acesso a provas que compõem o processo contra o político

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
26 de dezembro de 2020 às 15:57 | Atualizado 26 de dezembro de 2020 às 21:11

 

O ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, suspendeu o depoimento do governador afastado do Rio, Wilson Witzel, que estava marcado para segunda (28). A oitiva selaria o avanço do processo de impeachment do político fluminense. 

Moraes atendeu a pedido da defesa de Witzel que alegou falta de acesso a provas que compõem o processo contra o político. Em decisão liminar, Moraes diz que o depoimento só deve ocorrer após os advogados de Witzel terem acesso a documentos que alimentam as acusações contra ele.

Leia também:
Justiça adia depoimento de Wilson Witzel para o dia 28 de dezembro
Alerj contraria recomendação do TCE e aprova contas do governo Witzel
Sessão do impeachment de Witzel tem pedido de suspensão de depoimentos negado

A decisão também determina que o Tribunal de Justiça do Rio precisa dar à defesa de Witzel ao menos cinco dias para analisar os documentos antes do novo depoimento ser tomado.

O ministro decidiu ainda que a defesa de Witzel tem o direito de interrogar Edmar Alves dos Santos, ex-secretário de Saúde do Rio. Ele se tornou delator e alimentou acusações contra o governador afastado.

No entanto, questionamentos feitos pela defesa foram descartados sob a alegação de que o acordo de delação está protegido pelo sigilo. Moraes entendeu que a testemunha não poderia ter as declarações restringidas, sob pena de ofender o direito de Witzel à defesa.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil