Bolsonaro: 'Entre eu e a vacina tem a Anvisa, que alguns não querem respeitar'

O presidente Jair Bolsonaro saiu do Palácio do Alvorada neste sábado (26) e foi até uma padaria na região de Cruzeiro Velho, também em Brasília

Matheus Prado, da CNN, em São Paulo
26 de dezembro de 2020 às 12:30 | Atualizado 26 de dezembro de 2020 às 13:49

O presidente Jair Bolsonaro saiu do Palácio do Alvorada neste sábado (26) e foi até uma lotérica e uma padaria na região de Cruzeiro Velho, também em Brasília. Lá, conversou com apoiadores e respondeu a perguntas de jornalistas sobre a vacina contra o novo coronavírus.

"Eu já assinei a MP de R$ 20 bilhões para comprar a vacina", diz. O governo aprovou o investimento no dia 17 de dezembro, mediante certificação da Anvisa. "Entre eu e a vacina tem uma tal de Anvisa, que eu respeito e alguns não querem respeitar."

Leia também:
Saiba quais são os países que já estão vacinando; Brasil está fora
Bolsonaro assina MP que destina R$ 20 bilhões para compra de vacina
Brasil não deverá ter vacinação antes de fevereiro, diz pesquisadora da Fiocruz

O mandatário também falou sobre a segurança dos imunizantes, afirmando que "não pode aplicar qualquer coisa no povo". "Em todas as vacinas que eu tenho visto disponíveis tem uma cláusula dizendo que eles não responsabilizam pelos efeitos colaterais", afirma.

Com as câmeras da reportagem já desligadas, o presidente emendou ainda sobre o atraso no início da vacinação: "ninguém me pressiona a nada, não dou bola para isso". Pelo menos 17 países, inclusive os latinos Chile e México, já começaram a imunizar sua população. Este número deve crescer bastante no domingo (27), quando começa a vacinação na União Europeia.