Relator sobre eleição presencial na Câmara: ‘Não é bom brincar com coronavírus’


Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
13 de janeiro de 2021 às 09:32 | Atualizado 13 de janeiro de 2021 às 09:50
Deputado Mário Heringer discursa na Câmara
Deputado Mário Heringer discursa na Câmara
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados (20.nov.2019)

O segundo-secretário da Mesa Diretora da Câmara, deputado Mário Heringer (PDT), designado para avaliar o retorno ao plenário no dia da eleição da presidência da Casa, afirmou à CNN que defende a votação virtual, modelo questionado pelo Progressistas, do candidato à presidência Arthur Lira.

"Presencial só para quem quiser ir. Vai quem quer. Tenho minhas convicções pessoais quanto à necessidade real e do exemplo a ser prestado a sociedade. Em um momento claro de recrudescimento da pandemia e na vigência de aparecimento de cepa viral com maior capacidade de transmissão, creio ser mandatório exacerbar nos cuidados. Não é bom brincar com isso", disse à coluna.

 

Heringer, que é médico ortopedista, afirmou à CNN que irá se reunir nesta quarta-feira com médicos infectologistas para falar dos cuidados a serem tomados contra o coronavírus.

Na disputa com Baleia Rossi (MDB), o presidente do Progressistas, Ciro Nogueira, lançou dúvidas sobre a confiabilidade do resultado das eleições, caso o voto virtual seja aceito. A legenda apela para o risco de invasão hacker. "Como garantir que o processo de escolha daquele que ocupará a terceira posição constitucional na linha sucessória da Presidência da República não seja contaminado por ataques de hackers, que têm quebrado sistemas de segurança de órgãos, entidades e empresas mundiais?", afirma em ofício encaminhado, no fim de dezembro, ao presidente Rodrigo Maia.