Rezende: Bolsonaro tentou terceirizar responsabilidade da pandemia para o STF

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende analisou a reação do Supremo às declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre combate da pandemia no país

Da CNN, em São Paulo
19 de janeiro de 2021 às 10:09

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (19), Sidney Rezende analisou a reação do Supremo Tribunal Federal (STF) às declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre o combate da pandemia do novo coronavírus no país. 

Em nota, o STF negou que proibiu o governo federal de atuar no enfrentamento à Covid-19 e afirmou que é de responsabilidade de todos os entes da federação adotarem medidas em benefício da população brasileira.

"O presidente está se utilizando de um estratagema, de uma forma de se defender ou de terceirizar algo que é dele. De fato, o Supremo não o impediu de agir. Tanto isso é verdade que nós, ontem, vimos o encontro do ministro Eduardo Pazuello com os governadores, definindo horários e datas para fazer a distribuição [das vacinas]. Tudo isso foi feito como tem que ser, em comum acordo", afirmou Rezende.

"Não é a primeira vez que o presidente argumenta isso. À época dos hospitais de campanha e liberação de recursos, o presidente dizia que repassou dinheiro para os estados e, se eles não fizeram o seu trabalho, ele disse que não tinha culpa. Governar não é só assinar um cheque e depois determinar que outra pessoa resolva", avaliou o jornalista.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (19.jan.2021)

 

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

(Publicado por: André Rigue)