MP quer que TCU investigue compra de alimentos pelo governo federal

Subprocurador cita que compras chegaram a R$ 1,8 bilhão, valor 20% superior ao verificado em 2019

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
27 de janeiro de 2021 às 16:27 | Atualizado 27 de janeiro de 2021 às 16:40
Palácio do Planalto
Foto: Cristiano Mascaro/Portal da Copa 2014

Subprocurador-geral do Ministério Público no Tribunal de Contas da União, Lucas Rocha Furtado requisitou à presidência da corte a apuração de supostas irregularidades nos gastos de alimentação do governo federal em 2020.

A solicitação é para verificar a "legalidade, legitimidade, moralidade, economicidade e razoabilidade desses gastos, diante dos indícios de desvirtuamento da utilização dos recursos públicos, bem como diante dos indícios de superfaturamento de alguns itens".

 

Na representação, Furtado cita que, no ano passado, essas compras chegaram a R$ 1,8 bilhão, valor 20% superior ao verificado em 2019. Destaca gastos de R$ 15 milhões com leite condensado e de R$ 2,2 milhões com chicletes.

Para ele, ainda que as compras tenham sido legais, despesas realizadas representam uma "afronta" ao "princípio da moralidade administrativa". 

 

O subprocurador-geral pede que, em caso de confirmação de irregularidades, o TCU apure os responsáveis pelas compras, aplique sanções e encaminhe as conclusões da investigação ao responsável pela relatoria das contas do governo.