Em primeiro encontro, novo ministro elogia gestão Pazuello na Saúde

Ambos tiveram várias agendas conjuntas nesta terça-feira (16) e sempre em clima amistoso

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
16 de março de 2021 às 19:53 | Atualizado 16 de março de 2021 às 20:38

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aproveitou o primeiro encontro com o seu antecessor Eduardo Pazuello para fazer elogios a sua gestão e sinalizar que não pretende no curto prazo promover mudanças na pasta.

Ambos tiveram várias agendas conjuntas nesta terça-feira (16) e sempre em clima amistoso. No Ministério da Saúde, por exemplo, Pazuello conduziu Queiroga pelo prédio, apresentou a equipe e deu um panorama do cronograma de vacinação.

A certa altura, Queiroga chegou a sugerir, em tom de brincadeira, que o ideal seria que Pazuello ficasse no cargo e que a pasta tivesse dois ministros: o próprio Queiroga para cuidar da gestão da saúde e Pazuello para ficar responsável pela área administrativa.

Marcelo Queiroga e Eduardo Pazuello (16.mar.2021)
Marcelo Queiroga e Eduardo Pazuello (16.mar.2021)
Foto: Reprodução/CNN

Pazuello, ao apresentar a equipe, disse a Queiroga que ele ficasse à vontade para promover mudanças e o alertou que grande parte era composta por militares. Segundo uma fonte que acompanhou a visita o cardiologista teria dito que não eram militares, mas brasileiros trabalhando pelo país.

Pazuello ainda comentou que quando chegou ao ministério parecia uma pasta “fantasma” porque muitos haviam saído após a queda de Luiz Henrique Mandetta e que foi necessário montar sua própria equipe. Algo que, segundo ele, não ocorrerá com Queiroga. “Não queremos fazer com você o que fizeram comigo”, disse.

Queiroga respondeu que não pretende mexer na equipe por agora e afirmou que todos ali, assim como ele, estão cumprindo missão.

O novo ministro disse a Pazuello que que a missão do general foi cumprida de estruturar o ministério na parte administrativa e que agora era a hora da parte médica assumir.

Pazuello ofereceu ao novo ministro que se hospede no Hotel de Trânsito onde ele se hospeda em Brasília e, antes de partirem para a agenda conjunta no Rio, também o convidou para ficar em sua casa na capital fluminense.