Pressionados, Lira e Pacheco devem dar 'ultimato' ao governo Bolsonaro

Presidente do Senado está sendo aconselhado a ter conversa dura e franca com Bolsonaro, uma vez que a pressão sobre o parlamento é 'enorme'

Da CNN, em São Paulo
22 de março de 2021 às 17:11 | Atualizado 22 de março de 2021 às 17:18

Os presidentes do Senado e da Câmara, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL), respectivamente, conversam com membros de setores da economia, saúde e educação para levar um diagnóstico mais amplo da situação do país para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no encontro que reunirá o comando dos Três Poderes. A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

Pessoas próximas aos presidentes da Câmara e do Senado dizem que o Congresso vai caminhar para dar um ultimato a Bolsonaro para que o governo seja funcional no combate à pandemia. Relatos são de que a situação atual é de disfuncionalidade no governo federal.

O presidente do Senado está sendo aconselhado a ter uma conversa dura e franca com Bolsonaro, uma vez que a pressão sobre o parlamento é "enorme". O Congresso pode ser forçado, como pedem alguns governadores, a tomar as rédeas do combate à pandemia no Brasil.

Rodrigo Pacheco, Arthur Lira e Jair Bolsonaro
Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

STF

Outro órgão que está insatisfeito com a condução do governo Bolsonaro é o Supremo Tribunal Federal (STF).

O órgão máximo do Judiciário viu seus problemas com o presidente se intensificarem neste final de semana, quando Bolsonaro disse que pode usar as Forças Armadas para garantir a “liberdade do povo” para derrubar medidas de isolamento social que visam aliviar o sistema de saúde brasileiro, que está em colapso.

Um ministro do STF disse que é preciso colocar cercas elétricas e delimitar o alcance do presidente, para que ele saiba que há limites em seu poder.

(Publicado por Daniel Fernandes)