Ministro da Saúde quer regras para distanciamento em empresas em vez de lockdown

Para ele, lockdown é uma medida "extrema" e nada garante que traz resultados

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
02 de abril de 2021 às 20:34

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o lockdown deve ser uma "última medida" e que ainda assim tem dúvidas sobre sua efetividade. Entre as ações que propõe, quer fazer um regulamento para empresas adotarem protocolos de distanciamento social e, assim, não pararem durante a pandemia. E "máscara, muita máscara".

Para ele, lockdown é uma medida "extrema" e nada garante que traz resultados. Mas reiterou o que vem dizendo: cabe a estados e municipios aplicarem, se acharem necessários. 

 

Queiroga falou também sobre os atrasos nos cronogramas de vacinas, afirmando que o Ministério não quer se eximir disso, mas que é "responsabilidade dos contratados, porque não é o Ministério que faz a vacina", entregar as doses.

Ele observa que os contratados para fornecê-las --no caso Fiocruz e Instituto Butantan-- estão revisando para baixo essas entregas, mas diz que tem trabalhado em outras alternativas de vacinas.

Segundo o ministro, há uma expectativa grande de a Anvisa liberar a Sputnik na semana que vem, revelando que até mesmo abriu negociações de antecipação de doses com outras farmaceuticas já contratadas.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou de coletiva após reunião do comitê contra a Covid-19
Foto: Reprodução/CNN Brasil (31.mar.2021)