Mayra Pinheiro caiu em contradição durante depoimento, diz senador

Otto Alencar (PSD-BA) afirma que declarações apresentaram inconsistências durante oitiva da CPI da Pandemia no Senado

Da CNN, em São Paulo
25 de maio de 2021 às 18:20

Em entrevista à CNN, o senador Otto Alencar (PSD-BA) disse que o depoimento da secretária de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, foi marcado por inconsistências.

Segundo ele, todas as contradições farão parte do relatório final da CPI da Pandemia. A secretária foi ouvida pelos senadores por mais de 6h nesta terça-feira (25).

"São 13 declarações inconsistentes que nós levantamos hoje da Dra. Mayra Pinheiro. Em uma delas, o Renan [Calheiros] perguntou se ela já tinha estado com o presidente da República; ela disse que não. Quando o Randolfe [Rodrigues] perguntou, ela disse que sim", exemplifica Alencar. "Ela trocou tudo, são 13 incoerências, declarações incorretas."

Para o parlamentar, Mayra caiu em controvérsia "para se manter no cargo". "Infelizmente, para se manter no cargo, ela defende uma droga totalmente ineficaz para o tratamento da Covid-19, que é o caso da cloroquina."

Em outro momento, diz Alencar, a secretária se confundiu na classificação da cloroquina como antiviral. "Ela chamou de antiviral, depois se corrigiu, dizendo 'tem propriedades antiviral'. Mas isso confunde muito a população. Ela tem que saber que não temos ainda medicação para a cura da Covid-19, a única coisa que temos é vacina."

Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado