Aziz desafia Bolsonaro a provar acusação de desvio de dinheiro no Amazonas

Presidente citou suposto desvio de R$ 260 milhões quando o senador governava o estado; no entanto, o parlamentar não foi denunciado nem se tornou réu

Da CNN, em São Paulo
08 de julho de 2021 às 17:08

A tensão entre os líderes da CPI da Pandemia e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ganhou novo capítulo nesta quinta-feira (8) após o mandatário acusar Omar Aziz (PSD-AM), presidente da comissão, de participar de um esquema de desvio de dinheiro da saúde no Amazonas em 2016. 

Na época, Aziz era governador do estado e não foi denunciado nem se tornou réu.

A fala do presidente aconteceu no cercacinho do Palácio do Planalto em meio a críticas sobre a condução da CPI da Pandemia. 

“A Covaxin não tinha passado pela Anvisa, e tem mais. Depois [o contrato] passa pela Controladoria-Geral da União, eles fazem o pente fino da maioria dos contratos. Depois ainda tem o Tribunal de Contas da União. Como você vai fazer uma sacanagem dessa? Só na cabeça de um cara que desvia do seu estado R$ 260 milhões, como o Omar Aziz desviou, que pode falar isso ai,” disse Bolsonaro.

A fala chegou à Comissão Parlamentar de Inquérito e foi prontamente respondida por Omar Aziz, que desafiou o presidente a apresentar provas que comprovem a acusação.

“Como de costume [o presidente], passou 50 minutos no cercadinho que ele usa para assacar a honra dos outros. Ele, de forma vil, me coloca como se tivesse desviado. Não sei onde ele ouviu isso. Como ele se informa com compadres e coisas pequenas, a gente releva. Presidente, eu lhe desafio a procurar um processo em que eu seja réu ou denunciado. Você já mandou seus agentes de informação vasculharem minha vida toda, eu não tenho dúvida disso,” disse o presidente da CPI.

Além do desafio de Aziz, a comissão enviou nesta quinta-feira (8) uma carta para Bolsonaro pedindo esclarecimentos sobre os fatos apresentados na audiência do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) que acusa o presidente de ter se omitido ao saber das tentativas de aprovar um contrato com suspeitas de fraudes no caso da compra da Covaxin.

Presidente da CPI da Pandemia, Omar Aziz
Foto: Pedro França/Agência Senado