Alexandre Garcia: Veto de Bolsonaro ao Fundo Eleitoral não é por popularidade

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (21), o jornalista avaliou a reação de alguns partidos do centrão sobre o veto do Fundo Eleitoral

Da CNN, em São Paulo
21 de julho de 2021 às 10:06

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (21), Alexandre Garcia avaliou a reação de alguns partidos do centrão sobre o veto do Fundo Eleitoral pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

Após o presidente afirmar que vai vetar o Fundo Eleitoral de quase R$ 6 bilhões, partidos de peso do chamado centrão ficaram contrariados com as críticas do presidente. Políticos do PP e do PL deixaram claro que existe risco de acabar o alinhamento com o Planalto. Antes de conversar com os parlamentares, o presidente, em entrevista à rádio Itatiaia, reforçou a intenção de vetar a proposta.

Parlamentares do centrão, de acordo com apuração da CNN, avaliaram que o veto do fundo eleitoral é uma estratégia de Bolsonaro para tentar reconquistar a popularidade em meio ao desgaste político medido por pesquisas de intenção de voto e, ainda, pelas investigações na CPI da Pandemia.

“Primeiro, fico incrédulo que parlamentares do centrão, com tanto tempo de praia, estejam acreditando nas pesquisas e argumentando com as pesquisas. Em segundo lugar, eles ficaram já sem pé de apoio porque quando se manifestaram não sabiam que Ciro Nogueira ia virar o negociador do governo. Em terceiro lugar, como o presidente alegou, o que está acontecendo é que se ele sanciona [o Fundo Eleitoral], vão pegá-lo no artigo 85 da Constituição”, disse o jornalista.

“Isso porque a lei diz que a cada dois anos é corrigido isso aí pela inflação sobre o total da compensação fiscal dadas às emissoras de rádio e televisão pela propaganda obrigatória. Mas essa é a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), depois tem a LOA (Lei Orçamentária Anual), que pode incluir o cálculo certo disso aí. Óbvio que o presidente não fez uma conspiração maquiavélica para ter popularidade. Mas enfim, vai vetar e depois vai entrar um fundo eleitoral razoável, dentro da lei orçamentária para 2022.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Alexandre Garcia e Fernando Molica. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (21.jul.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.