‘Acreditamos na presunção de inocência’, diz presidente em exercício do PSC

Marcondes Gadelha disse à CNN, no entanto, que qualquer recurso para reverter a prisão preventiva de Pastor Everaldo ficará por conta de advogados pessoais dele

Pastor Everaldo e Wilson Witzel
Pastor Everaldo e Wilson Witzel Foto: Divulgação/Site PSC

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

O presidente em exercício do PSC, Marcondes Gadelha, afirmou à CNN que qualquer recurso para reverter a prisão preventiva do presidente da legenda, Pastor Everaldo, ficará por conta de seus advogados pessoais e não da equipe jurídica do partido.

Gadelha contou para coluna que conversou com advogados do PSC, nesta manhã, após a ordem do ministro Benedito Gonçalves, relator do caso no Superior Tribunal de Justiça, de extender a prisão por tempo indeterminado do político. Pastor Everaldo foi pego na mesma ação que culminou no afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel e em busca e apreensão em endereço do vice Cláudio Castro, ambos do PSC, também investigados por desvios em contratos de Saúde do Rio de Janeiro.

Leia também:

Witzel está ‘morto politicamente’, avaliam ministros e cúpula do Congresso

Quem é Pastor Everaldo, preso em operação sobre fraude de contratos no Rio

Horário de Brasília: A derrocada política de Wilson Witzel

É ‘imprescindível’ manter Witzel afastado, diz Aras ao STF

O recurso poderá ser apresentado à corte especial do Superior Tribunal de Justiça ou eventualmente ao Supremo Tribunal Federal.

“Ainda não houve julgamento. É estranha uma decisão assim monocrática. A gente trabalha com a presunção da inocência, com as garantias, que estão na Constituição”, disse Marcondes à CNN sobre o Pastor Everaldo.

De acordo com o dirigente do PSC, o partido irá manter todo seu calendário eleitoral com convenções para escolha de candidatos destas eleições.

Na quarta-feira, haverá uma reunião da executiva do PSC. O foco são as eleições. O partido fará um balanço dos estragos que as prisoes causaram até agora na imagem da sigla.

Defesa

A defesa de Pastor Everaldo enviou nota e disse que ele “está sendo alvo de uma delação mentirosa. Ele reitera que sempre esteve à disposição das autoridades. Prova disso é que, no dia 19/8, antes de ser preso, pediu formalmente ao STJ para ser ouvido. O Pastor reafirma sua inocência, confiança na Justiça e fé em Deus.”

Já o Partido Social Cristão afirmou que “considera desnecessária a prisão do Pastor Everaldo, um cidadão que sempre esteve à disposição das autoridades. O PSC confia na Justiça, entretanto alerta que a criminalização da política fragiliza a democracia”.

Mais Recentes da CNN