Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alckmin e Marina Silva assumem ministérios nesta quarta (4); veja detalhes

    Também está marcada cerimônia de Ana Moser na pasta do Esporte; Simone Tebet participa de transmissão de cargo para o Planejamento na quinta (5)

    Geraldo Alckmin (PSB) e Marina Silva (Rede)
    Geraldo Alckmin (PSB) e Marina Silva (Rede) Matheus W Alves/Futura Press/Estadão Conteúdo e 03/11/2022REUTERS/Carla Carniel

    Tiago Tortellada CNN

    Em São Paulo

    Dois aliados decisivos na campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2022 assumem ministérios do novo governo nesta quarta-feira (4).

    O vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) chefiará a pasta do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, enquanto Marina Silva (Rede) estará à frente do Meio Ambiente.

    As cerimônias estão marcadas para 11h e 16h, no Palácio do Planalto, respectivamente. Clique aqui para ver os nomes de todos os ministros do terceiro governo de Lula.

    Antigos conhecidos

    Tanto Alckmin quanto Marina Silva foram importantes para a formação da chamada “frente ampla” da chapa petista, que visou abarcar vários espectros políticos em prol da derrota do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

    O ex-governador de São Paulo se juntou a Lula para ser seu vice-presidente. Antigo adversário político e ex-filiado ao PSDB, a escolha de seu nome tinha como objetivo acenar a setores do mercado e da sociedade que tinham dificuldade em aceitar o petista.

    Durante os trabalhos da equipe de transição, o presidente havia afirmado que Alckmin estava fora de cogitação na disputa por um ministério.

    Porém, com a recusa de alguns nomes para assumir a pasta de Indústria e Comércio, o novo governo voltou atrás e o indicou para o cargo. Um dos que declinaram do convite foi o empresário Josué Gomes da Silva, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

    Marina Silva, por sua vez, era uma antiga aliada de Lula, tendo sido justamente ministra do Meio Ambiente em suas duas gestões anteriores.

    A deputada federal eleita, porém, se afastou de Lula nos últimos anos, após uma saída conturbada do governo e também do PT, partido que ela integrou por três décadas. Ela foi candidata a presidente em 2010 pelo PV, em 2014 pelo PSB e em 2018 pela Rede.

    Marina e Lula se reaproximaram durante a campanha presidencial deste ano, com a ex-ministra tendo declarado publicamente o voto no petista.

    A ex –e agora, atual– ministra é respeitada na questão ambiental –um dos focos do pleito de Lula– e foi escolhida para o ministério que também tinha o Simone Tebet (MDB) como uma das cotadas.

    Moser assume hoje e Tebet, amanhã

    Outra ministra que assume o cargo nesta quarta-feira é a ex-jogadora de vôlei Ana Moser, na pasta do Esporte, uma das recriações do novo governo –no governo Bolsonaro, o Esporte era uma secretaria vinculada ao Ministério da Cidadania.

    A solenidade de posse da ex-jogadora está prevista para às 9h, no Bloco A da Esplanada dos Ministérios.

    Já na quinta-feira (5), a senadora Simone Tebet participará da transmissão de cargo para o Ministério do Planejamento, em cerimônia prevista para às 9h, no Centro Cultural Banco do Brasil.

    A emedebista também foi crucial para a vitória de Lula no segundo turno. Ela disputou as eleições 2022, tendo ficado em terceiro lugar no primeiro turno. No segundo turno, declarou voto e subiu no palanque petista.

    Assim como Alckmin, Tebet pôde atrair setores mais moderados para a chapa vencedora.

    Porém, na construção do novo governo, houve o impasse sobre qual ministério seria entregue aos seus cuidados, tendo Lula uma complicada missão de dividi-los entre base aliada e integrantes do chamado centrão.

    Foi ventilada a possibilidade de ela assumisse as pastas de Cidades, Meio Ambiente e Desenvolvimento Social. Ao fim, ela comandará o Planejamento.

    *com informações do Estadão Conteúdo e Brenda Silva, da CNN