Alckmin pode exercer figura de conciliador como vice de Lula, diz presidente do PSB

Ex-governador de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (18) sua filiação ao PSB

Douglas Portoda CNN*Elis Francoda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Carlos Siqueira, declarou, nesta sexta-feira (18), em entrevista à CNN, que o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin pode exercer a figura de conciliador como vice-presidente em um eventual governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“O papel de um vice é determinado pelo presidente da República. Eu acho que ele será um grande vice, se for convidado e aceitar. E acho que aceitará, porque é um homem moderado, experiente e leal. E que inclusive acena para um setor político que é o centro, muito importante para decidir uma eleição presidencial, mas também para governar. Ele pode exercer esse papel de ser essa figura conciliadora, experiente e respeitável”, afirmou Siqueira.

“No governo Lula ele pode dar uma grande contribuição para a estabilidade política e para ampliação ao centro político, para permitir uma governabilidade mais segura”, continuou.

Alckmin anunciou nesta sexta-feira sua filiação ao PSB. A cerimônia de sua entrada será celebrada na próxima quarta-feira (23), na sede do partido, em Brasília.

O ex-governador paulista deixou o PSDB após 33 anos no final do ano passado. Por meio de suas redes sociais, ele proclamou que “o tempo da mudança chegou! Depois de conversar muito e ouvir muito eu decidi caminhar com o Partido Socialista Brasileiro – PSB”. Alegou ainda que “o momento exige grandeza política, espírito público e união.”

No início de fevereiro, segundo relataram integrantes do PT à âncora da CNN Daniela Lima, o partido já apontava como consolidada a chapa Lula e Alckmin para as eleições presidenciais deste ano.

O PT prepara o lançamento da chapa com Lula concorrendo à Presidência da República e Alckmin como vice para o fim de março –ou, no máximo, início de abril.

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

(*Com informações de Rafaela Lara, da CNN)

Mais Recentes da CNN