Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alvo de mandado de prisão pula o muro e foge da PF durante operação contra atos criminosos

    Em uma rede social, Raif Gibran Filho aparece nos ataques criminosos às sedes dos Três Poderes em Brasília, no dia 8 de janeiro

    Da CNN

    em São Paulo

    Alvo de um dos mandados de prisão preventiva da Polícia Federal (PF), Raif Gibran Filho conseguiu pular o muro e fugir no momento em que seria preso pelos policiais. As informações foram confirmadas à CNN pela PF.

    Em uma rede social, Raif aparece nos ataques criminosos às sedes dos Três Poderes em Brasília, no dia 8 de janeiro. Ele convoca pessoas para participarem das ações e xinga aqueles que não estavam na Esplanada dos Ministérios.

    Durante o cumprimento do mandado da PF, ele fugiu do local.

    A Operação Lesa Pátria foi deflagrada pela PF nesta sexta-feira (20) com o intuito de identificar pessoas que participaram, financiaram ou fomentaram os atos criminosos de 8 de janeiro em Brasília. Cinco prisões foram confirmadas até o momento.

    Policiais cumprem oito mandados de prisão preventiva e 16 mandados de busca e apreensão em todo o país. São três mandados de prisão em São Paulo – na capital paulista e em Campinas, segundo apuração da CNN -, dois no Distrito Federal e um em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso do Sul.

    Em Belém, a PF realiza a Operação Última Batalha, que cumpre oito mandados de busca e apreensão contra seis pessoas que teriam financiado e estimulado caravanas para os atos criminosos.

    Segundo a PF, as investigações começaram a partir de publicações nas redes sociais, que tinham como objetivo de promover uma greve geral com a “tomada” dos Três Poderes.

    Os alvos da operação são quatro mulheres e dois homens. Foram apreendidos nove celulares, dois computadores, dois tablets e documentos.

    (Publicado por Lucas Rocha, com informações de Leonardo Ribbeiro, Basília Rodrigues e Bianca Camargo)