Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alvos de nova fase da Lesa Pátria são empresários que atuaram em bloqueios de estradas

    PF identificou empresários de Santa Catarina que financiaram atos antidemocráticos

    Arma apreendida pela Polícia Federal em fase da Operação Lesa Pátria
    Arma apreendida pela Polícia Federal em fase da Operação Lesa Pátria Divulgação/PF

    Elijonas Maiada CNN Brasília

    Dos 15 mandados de busca e apreensão na 28ª fase da operação Lesa Pátria, deflagrada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (20), 11 são contra empresários de Santa Catarina.

    A CNN apurou que os alvos são empresários que financiaram os atos antidemocráticos de 8 de janeiro do ano passado, quando as sedes dos Três Poderes foram vandalizadas em Brasília.

    O financiamento se deu por meio de pagamento de combustíveis e passagens para pessoas saírem do estado para a capital federal.

    Os alvos, segundo investigadores, também participaram de bloqueio de estradas após a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em outubro de 2022, contra Jair Bolsonaro (PL). Após o pleito, dezenas de rodovias tiveram barreiras feitas por manifestantes contrários ao resultado, impedindo a passagem de carros.

    Nessa ação de hoje, a PF cumpre ao todo 15 mandados de buscas, além de SC, em Goiás e Mato Grosso do Sul, além de 12 mandados de busca pessoal. Armas foram apreendidas com investigados.

    O Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou as buscas, também determinou indisponibilidade de bens. A PF calcula prejuízo de R$ 40 milhões aos cofres públicos com a depredação dos prédios da Praça dos Três Poderes.