Após lista pró-Lira, PSL convoca reunião para discutir expulsão de deputados

Representação que será analisada tem 20 deputados da ala bolsonarista na mira

Bárbara Baião e Thais Arbex, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 

A executiva do PSL deu início, nesta sexta-feira (8), ao primeiro passo para expulsar deputados que aderiram à candidatura do líder do PP na Câmara dos Deputados, Arthur Lira (AL), à presidência da Casa. 

A executiva da sigla comandada por Luciano Bivar (PSL-PE) convocou reunião do Conselho de Ética para a próxima terça-feira (12). A representação que será analisada tem 20 deputados da ala bolsonarista na mira. 

Leia também:

Campanha de Lira pelo país começa com comitiva de dissidentes de bloco de Baleia

Campanha de Lira avalia apoiar nomes avulsos para cargos da mesa diretora

Deputado Luciano Bivar, do PSL
Deputado Luciano Bivar, do PSL
Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

“A medida é justificada pelo conjunto da obra. São reincidentes, infiéis e vivem no submundo da política parlamentar”, disse o deputado e vice-presidente da sigla, Junior Bozzella (PSL-SP), responsável pela representação. 

O novo racha no partido marca mais um capítulo da guerra interna que se arrasta desde 2019. Os alvos do documento integram a chamada ala bolsonarista do PSL e rejeitam seguir o entendimento do presidente nacional, Luciano Bivar, em aderir à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP).

Os parlamentares não aceitam aderir ao bloco que também conta com siglas da oposição, como PT e PCdoB. 

Dos 32 deputados que assinam o documento favorável ao líder do PP, 17 estão suspensos das funções partidárias e, de acordo com o entendimento da cúpula do PSL, não teriam viabilidade política para aderir ao movimento.

Destaques do CNN Brasil Business:

Bitcoin: entenda os motivos que levaram a criptomoeda à valorização recorde

Magalu, Via Varejo, B2W: estrelas da bolsa em 2020 devem virar coadjuvantes

Nova central multimídia da Mercedes ocupa todo o painel e ainda sugere músicas

Veja comparação entre preços da promoção do Magazine Luiza e dos concorrentes

Em contrapartida, o grupo argumenta que estaria respaldado por um parecer da procuradoria parlamentar da Câmara. O documento, assinado pelo presidente do Avante, Luiz Tibé (MG), entende que os efeitos da suspensão partidária não se aplicam à proibição de participar da lista de composição de blocos partidários.

Esses deputados trabalham, ainda, para que o parecer de Tibé seja referendado pela Mesa Diretora da Câmara.

Mais Recentes da CNN