Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aras diz à CNN que substituto na PGR é “escolha acertada”: “Gonet tem as qualidades necessárias”

    Ex-procurador-geral da República também felicitou a indicação de Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal (STF)

    Procurador-geral da República, Augusto Aras
    Procurador-geral da República, Augusto Aras 20/05/2022REUTERS/Adriano Machado

    Teo CuryDouglas Portoda CNN

    Brasília e São Paulo

    O ex-procurador-geral da República Augusto Aras disse à CNN, nesta segunda-feira (27), que a indicação de Paulo Gonet para o cargo “é uma escolha acertada” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “Gonet tem as qualidades necessárias para chefiar o Ministério Público, um dos cargos mais importantes da República. Como amigo e como brasileiro, torço para que ele tenha sucesso na nova missão”, declarou Aras.

    Aras saiu da PGR em 26 de setembro, não sendo reconduzido por Lula para um terceiro mandato. Elizeta Ramos está no cargo interinamente desde então.

    Assim como acontece agora com Gonet, Aras foi indicado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em 2019 fora da lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

    Indicação de Dino para o STF

    Aras também felicitou a indicação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para o Supremo Tribunal Federal (STF).

    “Nesta oportunidade, apresento votos de sucesso na mais alta magistratura para gáudio dos brasileiro”, expressou Aras pelo X, antigo Twitter.

    Como aconteceram as indicações

    Os anúncios de Gonet e Dino foram feitos por Lula após reuniões com ambos os escolhidos na manhã desta segunda-feira. Segundo apurou a CNN, o objetivo era que o anúncio fosse feito antes do presidente embarcar para o Oriente Médio.

    Ambas indicações precisam ser aprovadas pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e, posteriormente, pelo plenário da Casa.

    Logo no início do dia, Lula chamou o ministro da Justiça e Segurança Pública para uma reunião fora da agenda. Nos bastidores, fontes próximas confirmavam que Dino seria anunciado para a Suprema Corte.

    Após o encontro com Dino, foi a vez de o presidente se reunir com o subprocurador Paulo Gonet.

    De acordo com relatos feitos à CNN, a intenção do presidente era indicar nesta segunda apenas Gonet para a PGR. A indicação conjunta teria sido decidida após uma conversa entre Lula e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

    Pacheco o alertou, porém, que, nesse desenho, o Senado não teria tempo hábil para cumprir o rito necessário para a aprovação dos dois nomes, uma vez que o recesso parlamentar começa no dia 23 de dezembro. Lula, então, optou por fazer as duas indicações de forma simultânea.