Aumento do gás terá um impacto eleitoral muito relevante, diz cientista político

Murillo de Aragão disse à CNN que alta do produto deve influenciar "nas preferências do eleitorado nas próximas pesquisas"

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o cientista político Murillo de Aragão afirmou que o “aumento do gás terá um impacto eleitoral muito relevante”. O especialista reforçou que ainda que a questão não se torne decisiva, pode ao menos influenciar os eleitores em 2022.

Nesse caso, de acordo com Aragão, o impacto será pelo menos pré-eleitoral “nas preferências do eleitorado nas próximas pesquisas”.

Tanto a Petrobras como a Câmara dos Deputados já se movem para lidar com o aumento do preço do produto. A estatal informou que o Conselho de Administração da companhia aprovou a destinação de R$ 300 milhões para a criação de um programa social voltado para famílias em situação de vulnerabilidade e que tem o objetivo de garantir itens essenciais, como o gás.

“É muito pouco para atender os beneficiários do Bolsa Família”, disse Aragão sobre o valor movido pela empresa.

“Não está claro como o problema será equacionado.”

Já em Brasília a Câmara aprovou o PL 1.374 de 2021, que cria um subsídio para o preço do gás de cozinha para famílias de baixa renda.

ICMS

Outro ponto abordado pelo cientista político foi o ICMS. Segundo ele, a fala do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) de que o Congresso Nacional irá discutir um projeto para determinar um valor fixo do imposto com combustíveis não é uma opção para os governadores.

“Os governadores rejeitam qualquer intervenção que possa reduzir a sua arrecadação tributária por conta do preço dos combustíveis”, disse Aragão.

A afirmação de Lira vai ao encontro do pensamento do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), que se demonstrou satisfeito com a declaração do deputado.

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN