Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Auxílio Reconstrução: prefeituras do RS vão enviar dados de regiões atingidas ao governo federal

    Informações devem chegar a partir de quarta-feira via site aberto pelo governo, segundo ministro

    Bairro Menino Deus, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em meio a trabalhos de limpeza após chuvas
    Bairro Menino Deus, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em meio a trabalhos de limpeza após chuvas Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

    Henrique Sales Barrosda CNN*

    São Paulo

    O governo federal lançou, nesta segunda-feira (20), um site para as prefeituras gaúchas cadastrarem famílias para serem beneficiárias do Auxílio Reconstrução, que prevê o pagamento de R$ 5,1 mil em parcela única.

    No site, as prefeituras deverão apontar a área de seus municípios que foram afetadas pelas chuvas no estado e, junto a isso, dados das famílias desabrigadas e desalojadas pelas cheias de rios, enchentes, entre outras consequências dos temporais.

    No momento, gestores municipais já podem baixar as planilhas disponibilizadas pelo governo para os cadastramentos padronizados. Já na quarta-feira (22), prevê o calendário do governo, as prefeituras poderão começar a subir os dados para o site.

    “Vamos fazendo a execução dos pagamentos (do Auxílio Reconstrução) conforme as informações vão chegando”, disse o ministro do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.

    O ministro afirmou que não vão ser apenas famílias gaúchas inscritas no CadÚnico que receberão o Auxílio Reconstrução e destacou o papel dos municípios no recebimento do benefício. “A responsabilidade da fé pública da informação é do município”, disse Góes.

    O anúncio foi feito ao lado de outros chefes ministeriais, incluindo Paulo Pimenta, da Secretaria para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, em Brasília.

    O auxílio terá os pagamentos feitos em contas abertas na Caixa. Não há necessidade de beneficiários terem conta no banco aberta no momento para receber o benefício, também destacou Waldez. Caso seja identificado a inexistência, a própria instituição fará a criação dela.

    As famílias, porém, ainda terão que acessar o site do auxílio – o mesmo usado pelas prefeituras – para confirmar os dados repassados, antes de o pagamento ser executado pela Caixa, a partir de 27 de maio (segunda-feira), na área “Sou cidadão”.

    Em complemento a Góes, Paulo Pimenta disse que as prefeituras “não precisam esperar todas as informações” para lançar os dados. “Pode formar uma lista (de famílias) que já conseguiu identificar e enviar. No outro dia, pode mandar outra”, afirmou.

    “Temos cidades que ainda estão em baixo d’água, onde a enchente ainda não chegou no seu ponto mais alto e onde a água já baixou. Não há uma situação linear no estado”, acrescentou.

    Cobrança de Lula

    Em reunião no último final de semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou agilidade de ministros para a liberação do auxílio às famílias gaúchas afetadas pelas chuvas no estado.

    Naquele momento, já estava em vigor a medida provisória (MP) que criava o auxílio, mas não publicada a portaria que detalha o funcionamento da medida – que saiu nesta segunda-feira.

    Na reunião, ministros relataram ao presidente a criação do site lançado nesta segunda e explanaram desafios para garantir que os pagamentos sejam feitos para quem realmente precisa deles.

    * Com informações de Julliana Lopes, Gustavo Uribe, Luciana Amaral e João Rosa