Bolsonaro participa de lançamento do submarino Humaitá em Itaguaí, no RJ

Presidente irá ao evento no Complexo Naval e Industrial de Itaguaí (CNI), no sul do Rio; no sábado, ele participa de formatura na Escola Naval

Marinha faz últimos ajustes no submarino Humaitá no Complexo Naval e Industrial de Itaguaí
Marinha faz últimos ajustes no submarino Humaitá no Complexo Naval e Industrial de Itaguaí Foto: Tomaz Silva - 2.dez.2020/Agência Brasil

Paula Martini, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro participa nesta sexta-feira (11) do lançamento ao mar do submarino Humaitá. O evento acontece no Complexo Naval e Industrial de Itaguaí (CNI), no sul do do estado do Rio de Janeiro, em meio às comemorações pelo Dia do Marinheiro. 

Além do lançamento, também será realizada a integração do submarino Tonelero e a demonstração do estágio de construção e de testes dos cinco submarinos previstos no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub). O programa prevê a entrega de quatro submarinos convencionais e um nuclear. 

O Humaitá é o segundo submarino da classe Scorpene a ser lançado ao mar, e é fruto da cooperação tecnológica com a França. Em 2018, a Marinha lançou o submarino Riachuelo – a embarcação está em fase de testes finais, e deve ser entregue para operação em 2021.

O objetivo do Prosub é reforçar a faixa litorânea conhecida como Amazônia Azul. A área compreende 67% do território brasileiro. O programa foi lançado em 2008 e prevê um investimento total de R$ 37, 1 bilhões. Desse total, R$ 20,8 bilhões já foram gastos. 

Assista e leia também:
Com apoio de Bolsonaro, Lira lança candidatura à presidência da Câmara
Conheça os detalhes do Gripen, novo jato supersônico da Força Aérea Brasileira

Além dos submarinos, também contempla a construção de um complexo de infraestrutura industrial e de apoio à operação e o CNI.

O submarino Álvaro Alberto, de propulsão nuclear, é considerado o projeto mais complexo do programa. A embarcação começou a ser construída em 2012. Segundo o contra-almirante Celso Mizutani Koga, a embarcação deve ser entregue em 2031.

Os submarinos nucleares podem ficar submersos por tempo maior que o convencional, já que não precisam subir à superfície para alimentar o sistema de propulsão, que não depende de ar. 

No entanto, envolvem uma série de desafios orçamentários e técnicos, como a compra de componentes e a capacidade de manter um reator nuclear em alta profundidade. 

Participaram do evento o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, o ministro chefe do gabinete de segurança institucional, General Augusto Heleno, o Governador em exercício do Rio, Cláudio Castro e os comandantes das Forças Armadas.  

A mulher do ministro da Defesa, Adelaide Azevedo e Silva, batizou o casco da embarcação quebrando uma garrafa de champange. O gesto é uma tradição no meio naval. 

O presidente Jair Bolsonaro continua no Rio de Janeiro. Ele almoça no Colégio Naval, em Angra dos Reis, e visita a casa de veraneio da família na Vila de Mambucaba, também em Angra. O presidente passa a noite na Escola de Educação Física do Exército, no Forte São João, na Zona Sul do Rio. No sábado (12), ele participa de uma formatura na Escola Naval, no Centro.

 

 

 

Mais Recentes da CNN