Boris Casoy: Fala de Flávio Bolsonaro sobre eleição mais confunde do que esclarece

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (21), Boris Casoy analisa as declarações do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) sobre as eleições de 2022

Gabriel Fernedada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (21), o comentarista Boris Casoy analisou as declarações do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) sobre as eleições de 2022.

Em entrevista à CNN nesta quinta-feira (20), o senador afirmou que a futura coligação que irá apoiar a campanha de reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) será divulgada em breve. Flávio citou também partidos que podem participar de coligações na campanha presidencial, como Republicanos, PTB, PSC, PROS e Avante.

Para Boris Casoy, as afirmações de Flávio Bolsonaro pouco ajudam a entender a atual situação da campanha.

A fala do Flávio Bolsonaro mais confunde do que esclarece. As coisas estão confusas no panorama federal. Por enquanto, ninguém sabe o que vai acontecer. Ninguém sabe como esse quadro vai caminhar, estamos no centro do furacão, as coisas estão confusas e obscuras. Nada está decidido“.

Boris também comentou da participação do Centrão na campanha do atual presidente da República, apontando que há possibilidade de o bloco abandonar a campanha caso perceba que Bolsonaro não tenha mais chance de vencer.

Se o Centrão perceber que a candidatura de Bolsonaro não tem chance de vencer, vai saltar do barco tranquilamente. O Centrão é uma federação de interesses, eles vão mirar em uma candidatura mais viável.

Busca do União Brasil a Sergio Moro

O deputado federal Júnior Bozella, presidente do União Brasil em São Paulo, está focado em trazer Sergio Moro (Podemos) ao partido. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

Para Boris Casoy, a procura do União Brasil ao nome de Moro indica que existe a perspectiva por parte do partido de que o ex-juiz pode enfrentar Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

“O União Brasil não procuraria Moro se os dirigentes não vissem nele uma perspectiva de enfrentar Lula ou Bolsonaro. Existe uma perspectiva de viabilidade eleitoral. Moro está vinculado ao Podemos. Se for para o União Brasil, terá enormes vantagens, porque o União Brasil terá um horário grande na televisão e dinheiro para ninguém botar defeito.

Pesquisas indicam que Moro é o terceiro, não sei se seria um grande adversário. O Moro acho que tem potencial para ser um nome que pode chegar lá, é um nome que pode crescer“.

Apesar das informações que rondam o nome do ex-juiz, Boris salientou que a eleição acontece apenas em outubro, e que ainda há muito para acontecer.

Há muito o que se esperar para ver, ainda é muito cedo, e tem muita coisa que pode e que vai acontecer. Tudo não passa de profecias a serem confirmadas.”

Anvisa aprova uso da coronavac entre 6 e 17 anos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso emergencial da Coronavac para crianças entre 6 e 17 anos. A agência deixou claro que não recomenda a aplicação da vacina do butantan em imunossuprimidos. O país passa a ter agora duas vacinas aprovadas para a imunizacao de crianças e adolescentes contra a Covid-19

Gleisi Hoffmann fala sobre controle das mídias

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, concedeu entrevista à CNN na quinta-feira (20). Entre os diversos assuntos citados na entrevista, destacamos o controle das mídias. De acordo com a deputada federal, o partido sempre foi democrático e defendeu a liberdade de expressão e isso vai continuar nos valores da sigla.

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Boris Casoy. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN