Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Câmara declara perda de mandato de Marcelo Lima, e Paulinho da Força assume

    Parlamentar volta a Brasília para o seu quinto mandato

    O deputado federal Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP), o Paulinho da Força, retornou à Câmara
    O deputado federal Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP), o Paulinho da Força, retornou à Câmara 30/11/2023 - Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

    Luciana Amaralda CNN

    Brasília

    A Câmara dos Deputados declarou, nesta quinta-feira (30), a perda do mandato do deputado federal Marcelo Lima (PSB-SP). O ato foi publicado no Diário Oficial da Casa.

    A perda do mandato foi decretada após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no início do mês, por 5 votos a 2, por desfiliação “sem justa causa” do partido Solidariedade, pelo qual ele havia sido eleito em 2022. A ação foi movida pelo Solidariedade.

    Quem assume a vaga de deputado federal no lugar de Marcelo Lima é Paulinho da Força (Solidariedade-SP), primeiro suplente.

    Ele já tomou posse na sessão do plenário da Câmara desta quinta. Este será o quinto mandato de Paulinho da Força como deputado federal.

    A defesa de Marcelo Lima afirma que o Solidariedade não atingiu a cláusula de desempenho nas eleições passadas e assim perderia o Fundo Partidário e a propaganda gratuita no rádio e na televisão. Neste caso, ele poderia trocar de sigla sem perder o mandato.

    O Solidariedade, contudo, sustentou que passou a preencher os requisitos para tanto ao se juntar ao Partido Republicano da Ordem Social (Pros), em fevereiro deste ano.

    Ao longo do processo, o Solidariedade afirmou que Marcelo Lima foi eleito após usar a estrutura financeira e política do partido e, depois, se desfiliou sem uma justa causa, o que violaria a lei sobre fidelidade partidária. Também foi questionada a validade de uma carta apresentada pelo então deputado.

    Sindicalista

    Paulo Pereira da Silva, mais conhecido como Paulinho da Força, é presidente de honra da Força Sindical e 1º vice-presidente do Solidariedade. Ele construiu a carreira política por meio de causas sindicalistas e trabalhistas no estado de São Paulo.

    Após tomar posse, ele publicou nas redes sociais que voltou à Câmara “para mais um mandato em defesa do povo brasileiro”. “Esse momento marca uma nova história na nossa trajetória política, mas o objetivo é o de sempre: ser a voz dos trabalhadores e das pessoas que mais precisam.

    Tópicos

    Tópicos