Capitais registram atos pró e contra o governo no 7 de Setembro

São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Goiânia reuniram milhares de pessoas nas ruas no feriado da Independência

Manifestantes na Avenida Paulista para atos do 7 de Setembro nesta terça-feira
Manifestantes na Avenida Paulista para atos do 7 de Setembro nesta terça-feira José Brito/CNN Brasil

Anna Gabriela Costada CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

Diversas capitais brasileiras registraram manifestações favoráveis e contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) nesta terça-feira (7), feriado da Independência do Brasil. Até o momento, as manifestações prosseguem de forma pacífica, sem o registro de ocorrências nas principais capitais.

São Paulo e Brasília tiveram a participação de Bolsonaro nos atos pró-governo. Pela manhã, o presidente participou do ato programado em Brasília. Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que quem age fora da Constituição Federal deve ser “enquadrado” ou “pedir para sair”.

Por volta das 15h30, Bolsonaro discursou na avenida Paulista, em São Paulo, onde voltou a reiterar o posicionamento de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e citou a “liberdade aos presos políticos”.

Veja como foram as manifestações em cada capital:

Goiânia (GO)

Em Goiânia, os protestos pró-Bolsonaro se reuniram no Autódromo Internacional. Os participantes saíram em carreata e percorreram cerca de 20 quilômetros pela capital. A reunião inicial se deu por volta das 9h em frente ao autódromo, que fica na rodovia GO-120, e de lá saíram pela rodovia.

A expectativa é que o protesto termine próximo ao Aeroporto santa Genoveva. A Polícia Militar e a Secretaria Municipal de Mobilidade  acompanham os manifestantes, monitoram o trânsito e fazem a segurança da cidade.

Já os protestos contra o governo Bolsonaro se concentraram na região central de Goiânia. Manifestantes se reuniram na Praça dos Bandeirantes por volta das 9h30; fizeram uma caminhada no centro da capital, e agora continuam reunidos, manifestando e levantando pautas contra a atuação do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com a Polícia Militar, nenhuma ocorrência foi registrada nas manifestações.

Recife (PE)

Três atos ocorrem em Recife desde a manhã desta terça-feira, de forma simultânea, todos com início registrado por volta das 10 horas. São dois atos a favor do presidente Jair Bolsonaro, que ocorre na Zona Sul do Recife, e um ato que ocorreu na área central e seguiu para o Recife antigo, que é contra o governo Bolsonaro.

Um dos atos a favor começou na avenida Boa Viagem; uma multidão estava presente com as cores da bandeiras do Brasil. Os participantes percorreram um percurso de cerca de 1,5 km em direção ao jardim de Boa Viagem.

Também Às 10h, outra manifestação ocorreu no bairro Imbiribeira, ainda na Zona Sul de Recife. Nester ato, uma carreta seguiu em direção ao segundo jardim em Boa Viagem, foram cerca de 5 km de percurso.

Em Recife também ocorreu a 27ª edição do grito dos excluídos e das excluídas. O movimento, que é contra o governo de Jair Bolsonaro, teve concentração na praça do Dérbi, na região central da cidade. Na manifestação contrária ao governo, muitos participantes portaram faixas pedindo vacina, comida no prato e o Impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

Por volta das 11h o grupo de manifestantes saiu da Praça do Dérbi e seguiu em direção ao bairro Boa Vista, ainda na região central do Recife, em direção ao Pátio do Carmo, onde seria concentrada a finalização dos atos.

Em maio, em uma das manifestações contra o Bolsonaro em Recife, houve ação da Polícia Militar de Pernambuco, e duas pessoas ficaram parcialmente cegas por causa de disparo de armas não letais. O Ministério Público do estado de Pernambuco recomenda a não utilização de forças letais para os atos. E, de acordo com o governo, qualquer interferência da PM de forma violenta receberá punição.

Belo Horizonte (MG)

Na capital mineira também há o registro de atos pró e contra o governo federal. Os dois manifestos iniciaram antes das 10h.

Os manifestantes do ato pró-bolsonaro começaram a se reunir na esplanada do Mineirão, na região da Pampulha, e saíram por ruas e avenidas em motociata e carreata com destino à Praça da Liberdade, região centro sul da capital mineira. Com isso, os motoristas que precisam passar pela Praça da Liberdade devem ter uma rota alternativa, uma vez que o trânsito contra-se complicado na região.

Já o ato contra o governo foi iniciado na região central da capital mineira; os manifestantes carregaram faixas e bandeiras de movimentos sindicais e sociais em direção à praça 7, também Praça da Estação.

Rio de Janeiro (RJ)

A capital carioca concentra os manifestantes a favor do governo desde às 7h na avenida Atlântica, em frente à praia de Copacabana. A concentração dos participantes se deu entre os postos 4 e 5 da praia.

Pelo menos oito carros de som, grupos de motociclistas, e pessoas com faixas fecharam as três pistas mais próximas da orla, que ficaram interditadas por toda a extensão da avenida Atlântica.

A Guarda Municipal e a Polícia Militar estão no entorno da manifestação para o reforço na segurança.

A capital carioca também teve atos contra o governo de Jair Bolsonaro; a concentração foi na avenida Presidente Vargas, no centro da cidade. Os manifestantes se reuniram na esquina com a rua Uruguaiana, com carros de som, bandeiras e faixas desde às 8h.

A faixa da direita, sentindo igreja da Candelária, foi bloqueada pela Polícia Militar. Os atos pró e contra governo, no Rio de Janeiro, não tiveram o registro de ocorrências.

Centro do RJ- Ato contra o governo já registrando movimento de pessoas com bandeiras e apitos. Policiamento reforçado também nessa região / CNN Brasil

São Paulo (SP)

Em São Paulo a segurança foi reforçada e manifestantes pró-governo se concentram na Avenida Paulista desde cedo, onde Bolsonaro discursou por volta das 16 horas. “Hoje não é uma data minha ou de qualquer autoridade. É uma data do povo brasileiro”, escreveu o presidente nas redes sociais.

manifestação contou com a participação de ministros do governo Bolsonaro e de membros da equipe do presidente.

O efetivo de segurança paulista é de aproximadamente 3.600 policiais e conta com o apoio de mais de 1.400 viaturas, 60 cavalos, 4 drones e 2 helicópteros da Polícia Militar (PM), segundo a Secretaria de Segurança Pública de SP.

Também participam da operação de segurança equipes dos Comandos de Policiamento da Capital (CPC), de Trânsito (CPTran), de Choque (CPChq) e do Corpo de Bombeiros (CCB).

Manifestantes na Avenida Paulista para atos do 7 de Setembro nesta terça-feira / José Brito/CNN Brasil

Os atos são ainda monitorados por meio de câmeras fixas, móveis, câmeras instaladas em motocicletas e as chamadas bodycams, instaladas nas fardas dos policiais. As imagens serão acompanhadas em tempo real direto do Centro de Operações da PM.

No Vale do Anhangabaú, aconteceu a manifestação contra o governo. A movimentação aumentou no início da tarde e algumas ruas ao redor do local tiveram que ser bloqueadas para os carros, devido ao movimento dos manifestantes.

O público estimado, segundo a Secretaria de Segurança Pública e a PM de São Paulo, é de 125 mil pessoas na avenida Paulista e 15 mil manifestantes no Vale do Anhangabaú

Brasília (DF)

Manifestantes a favor do governo de Jair Bolsonaro (sem partidos) começam a se reunir na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, na manhã desta terça-feira (7).

Pela manhã, o presidente Bolsonaro participou de evento reservado no Palácio da Alvorada, com alguns ministros e comandantes das Forças Armadas, para o hasteamento da bandeira nacional.

Grupos tentaram furar bloqueios feitos pela Polícia Militar (PM), que reagiu com bombas. Durante a noite desta segunda-feira (6), os manifestantes favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já estavam no local e chegaram a invadir a Esplanada dos Ministérios.

De acordo com a PM, eles pressionaram para que caminhões pudessem passar pelo bloqueio. A Secretaria de Segurança do Distrito Federal permitiu a passagem de alguns caminhoneiros, junto com manifestantes a pé.

Segundo informações oficiais da assessoria de imprensa da PMDF, os manifestantes favoráveis ao presidente derrubaram uma barreira, que ficava na rodoviária do Plano Piloto. Foi assim que eles conseguiram entrar na Esplanada.

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fala a apoiadores em Brasília nesta terça-feira (7)
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fala a apoiadores em Brasília nesta terça-feira (7) / Reprodução/CNN Brasil

*Com informações de Marina Demori, Diego Barros, Caroline Louise, Bruna Carvalho e Marcela Monteiro.

Mais Recentes da CNN