Manifestantes em SP pedem a saída de João Doria e o retorno ao trabalho

Parte da Avenida Paulista foi fechada em protesto contra medidas de contenção do governo de São Paulo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
 

Na noite deste sábado (11) manifestantes ocuparam a avenida Paulista pedindo a saída do governador João Doria e o fim da quarentena para o retorno ao trabalho.

Muitas pessoas se aglomeraram fora dos carros, desrespeitando as proibições do Ministério da Saúde e OMS (Ordem Mundial de Saúde) em relação aos protestos de rua.

Parte da Paulista, no sentido da Consolação, chegou a ser fechada. Organizadores afirmam que, ao todo, conseguiram reunir 15 mil carros, 2 mil motos e 30 caminhões. A Polícia Militar não divulgou o número de participantes.

Leia também:

“Eu não tenho poder por decreto para abrir comércio”, diz Bolsonaro a apoiadores

Durante o dia, a carreta já havia passado em frente à Assembleia Legislativa de São Paulo e pela região do Morumbi, onde fica o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo.

Apesar das manifestações, a Procuradoria de Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal publicou neste sábado uma nota em que defendem que os governantes que afrouxeram as medidas de contenção da COVID-19 estarão sujeitos a responder por improbidade administrativa.

Segundo boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registra 20.727 casos confirmados de pessoas contaminadas pela COVID-19 e um total de 1.124 mortes. Só no estado de São Paulo, onde aconteceram as manifestações, o número de vítimas fatais chega a 560.

Mais Recentes da CNN