Carta de Leite mostra que “divergências internas foram superadas”, diz Doria

Ex-governador gaúcho disse que hoje, o nome do PSDB à Presidência é Doria

Da CNN

Ouvir notícia

O pré-candidato do PSDB à Presidência, João Doria, reagiu nesta sexta-feira (22) à carta enviada por Eduardo Leite na qual o ex-governador gaúcho endossa o paulista como o nome do partido ao Palácio do Planalto. Doria, também em carta, disse que o gesto de Leite é “prova de coerência e bom senso” e mostra que “todas as divergências internas foram superadas”.

“É com otimismo que recebo a manifestação pública do ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, uma expressiva liderança do nosso partido. O gesto de reconhecimento de Eduardo, do resultado das prévias e pela candidatura única do PSDB para a presidência da república é prova de coerência e bom senso”, escreveu Doria.

“Finalmente, foram superadas todas as divergências internas, corroborando com o resultado e a legitimidade das prévias que mobilizaram mais de 44 mil eleitores tucanos. É um gesto honrado, democrático e elogiável”, acrescentou o ex-governador paulista.

Segundo Doria, ele e Leite são “do partido da responsabilidade fiscal, da estabilidade econômica e dos programas sociais”. “Juntos vamos construir uma candidatura forte do centro democrático, ao lado do MDB, União Brasil e Cidadania por um país mais justo, solidário e pacificado”, disse Doria, incluindo os partidos que buscam indicar uma candidatura única da chamada terceira via.

 

 

Na carta de Leite, ele diz que o PSDB deve ter um candidato a presidente e, “hoje, este nome é João Doria”. O gaúcho também afirmou que conversou com o ex-governador de São Paulo e se disse “disponível para liderar um projeto nacional”, caso esse fosse o desejo do PSDB e de outros partidos do centro. Doria, no entanto, respondeu que não abre mão da candidatura, segundo Leite.

“Ele [Doria] tem este direito e esta legitimidade, vencedor das prévias que foi. E ele ouviu de mim que não serei eu, que tanto prezo o diálogo democrático, que criarei entrave de qualquer natureza para tirar dele a vontade e o direito que tem”, escreveu Leite.

Presidente do PSDB diz que carta de Leite é “madura”

A carta de Eduardo Leite também repercutiu positivamente para o presidente do PSDB, Bruno Araújo, que considerou que o gaúcho “tem se consolidado como a mais jovem liderança nacional”.

“Carta madura de um homem público compromissado com o seu Estado, o País e o seu Partido. Por ações como essa e pelo seu governo no RS ele tem se consolidado como a mais jovem liderança nacional. Tem e terá um papel fundamental na democracia brasileira e no nosso Partido”, escreveu Araújo.

Veja íntegra da carta de João Doria em resposta a Leite:

Um gesto de grandeza, por um só Brasil e um só PSDB

É com otimismo que recebo a manifestação pública do ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, uma expressiva liderança do nosso partido. O gesto de reconhecimento de Eduardo, do resultado das prévias e pela candidatura única do PSDB para a presidência da república é prova de coerência e bom senso. Finalmente, foram superadas todas as divergências internas, corroborando com o resultado e a legitimidade das prévias que mobilizaram mais de 44 mil eleitores tucanos. É um gesto honrado, democrático e elogiável.

O Brasil precisa enfrentar seus mais graves problemas com união, cooperação, humildade e trabalho. O PSDB já mostrou ao Brasil que é capaz de tirar o país de graves crises, como aconteceu com o Plano Real. Somos, Eduardo e eu, do partido da responsabilidade fiscal, da estabilidade econômica e dos programas sociais.

Juntos vamos construir uma candidatura forte do centro democrático, ao lado do MDB, União Brasil e Cidadania por um país mais justo, solidário e pacificado.

É hora de união contra a polarização que nos afoga. O Brasil tem opção e o nome desta opção é esperança. Unidos, venceremos.

Eleições 2022

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

(Publicado por Marcelo Tuvuca)

Mais Recentes da CNN