Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chuvas no RS: Lira prega alinhamento e bancada gaúcha fará sugestões de propostas prioritárias

    Presidente da Câmara reforçou que nenhuma ação será tomada sem haver um consenso junto ao governo estadual

    Luciana Amaralda CNN Brasília

    Ao longo de reuniões nesta terça-feira (7), o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), pregou a necessidade de se ter um alinhamento em relação às propostas legislativas apresentadas para ajudar a população e os municípios gaúchos em meio às enchentes no Rio Grande do Sul.

    Segundo relatos feitos à CNN, Lira também reforçou que nenhuma ação será tomada sem que haja um consenso junto ao governo estadual. Na avaliação do presidente da Casa, é preciso tocar o que for de acordo com a real e exata necessidade do governo do Rio Grande do Sul.

    A crise no Rio Grande do Sul foi tratada em reuniões de Lira tanto com líderes da Câmara quanto com membros da bancada gaúcha nesta terça (7).

    No encontro com os deputados gaúchos, inclusive, ficou acordado que estes vão analisar as propostas que consideram prioritárias para ajudar o estado e, então, levá-las a Lira. A ideia é fazer um “bom meio de campo” entre o que precisam os governos federal e estadual por meio do Legislativo.

    Os deputados do Rio Grande do Sul já chegaram a citar alguns projetos que consideram importantes.

    Por exemplo, projetos para isentar a população afetada de pagar energia elétrica e água por seis meses, para criar um auxílio-emergencial as famílias gaúchas e para antecipar repasses de pagamentos do Fundo de Participação dos Municípios a prefeituras.

    Há também quem defenda uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que suspenda regras de austeridade fiscal aplicadas ao governo estadual gaúcho e que suspenda o pagamento da dívida do estado com a União por tempo determinado.

    Relatos de deputados são de que Lira não chegou a se comprometer com um projeto em específico. A intenção é que haja essa compilação do que os parlamentares consideram prioritário para depois conferir se vão de acordo com a necessidade e vontade das autoridades estaduais.