Cidadania entra com recurso para expulsar Fernando Cury do partido

O parlamentar foi flagrado por câmeras de segurança da Assembleia Legislativa de São Paulo ao tentar abraçar e apalpar o seio da deputada Isa Penna

Julyanne Jucá e Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Comissão Executiva do Cidadania decidiu pelo afastamento liminar do deputado estadual por São Paulo Fernando Cury. O partido recorreu após o parlamentar alegar que o Diretório Nacional teria cometido irregularidades no processo ético-disciplinar no caso em que é acusado de importunação sexual contra a deputada Isa Penna (PSOL).

Em dezembro de 2020, o parlamentar foi flagrado por câmeras de segurança da Assembleia Legislativa de São Paulo ao tentar abraçar e apalpar o seio de Isa Penna durante uma sessão no plenário da Casa.

O Conselho de Ética do Cidadania optou pelo andamento do processo disciplinar e ele foi afastado de todas as funções do partido.

O deputado recorreu, alegando que um julgamento no diretório nacional seria “ilegal, sumário e de exceção.” Em decisão judicial, a juíza Thassia de Moura Guimarães, da 20ª Vara Cível de Brasília, acolheu o pedido de Cury e entendeu que o processo deveria ser apreciado no conselho de ética estadual do partido em São Paulo.

O Cidadania recorreu argumentando que não há “violações na condução do procedimento ético-disciplinar.”

Na última sexta-feira (15), o Tribunal de Justiça de São Paulo autorizou o início da investigação criminal para apurar a denúncia de importunação sofrida pela deputada.

Além dessa nova investigação, Fernando Cury tem um pedido de cassação de mandato em andamento no Conselho de Ética da Alesp, que deverá julgar o caso em fevereiro.

Deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) coloca mão no seio de deputada estad
Deputado estadual Fernando Cury (Cidadania) coloca mão no seio de deputada estadual Isa Penna (PSOL) durante sessão na Alesp (15.dec.2020)
Foto: CNN Brasil

Nota oficial

“A defesa do deputado estadual Fernando Cury atua nos estritos limites da ética e da legalidade, por isso, irá manifestar-se no processo após conhecer o teor da peça apresentada e ser intimada para tanto.

De acordo com o advogado Dr. Roberto Delmanto Júnior, ‘temos confiança de que a acertada decisão será mantida, pois houve clara violação do devido processo legal, com desrespeito ao próprio Código de Ética do Cidadania quanto à competência do Diretório Regional de SP, da manifesta imprestabilidade técnica da representação, do cerceamento de defesa na negativa de oitiva das oito testemunhas e vedação de defesa oral pelo advogado no final da instrução e perante o colegiado que irá julgar o parecer do Conselho de Ética, e ainda diante do impedimento do Sr. Roberto Freire, nesse processo de exceção'”.

 

 

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

 

Mais Recentes da CNN