Confira quem foram os depoentes da CPI da Pandemia ao longo de 67 reuniões

Foram mais de 60 depoimentos de atuais e ex-ministros de Estado, deputados federais, ex-governador, servidores federais e responsáveis por empresas privadas; confira todos os depoentes

Douglas Portoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia teve sua criação oficializada pelo presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em 13 de abril e foi instaurada no dia 27 do mesmo mês, para investigar a atuação do governo federal frente à Covid-19 e o uso de verbas por estados e municípios.

Ao longo de 67 reuniões, entre maio e outubro deste ano, foram mais de 60 depoimentos, de atuais e ex-ministros de Estado, como Marcelo Queiroga, general Eduardo Pazuello, Nelson Teich e Luiz Henrique Mandetta, que ocuparam a pasta da Saúde. Também estiveram presentes deputados federais, ex-governador, servidores federais e responsáveis por empresas privadas.

Em seu comando estavam o presidente, Omar Aziz (PSD-AM), o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL).

O relatório final de Calheiros possui 1.178 páginas, e traz 72 indicações de indiciamento (70 pessoas e 2 empresas). Entre os citados está o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seus filhos Carlos, Flavio e Eduardo Bolsonaro, além de ministros como o da Controladoria Geral da União, Wagner Rosário, o do Trabalho Onyx Lorenzoni e da Defesa Walter Braga Netto, também dos ex-ministros da Saúde Eduardo Pazuello e da Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

(*Com informações da Agência Senado)

Mais Recentes da CNN