Conselho de Ética confirma delegado Olim como relator de cassação de Arthur do Val

Integrantes do conselho aprovaram juntar as 12 representações contra o deputado apresentadas desde o fim de semana em um único processo

Arthur do Val em vídeo no qual pede desculpas por conteúdo de áudios sobre ucranianas
Arthur do Val em vídeo no qual pede desculpas por conteúdo de áudios sobre ucranianas Reprodução/Canal Mamãe Falei/YouTube

Iuri Pittada CNN

Ouvir notícia

O deputado estadual Delegado Olim (PP) vai ser o relator do processo que pode levar à cassação de Arthur do Val (sem partido), parlamentar que gravou um áudio no qual afirmou que as refugiadas ucranianas seriam “fáceis porque são pobres”.

Nesta quarta-feira (9), por unanimidade, os integrantes do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo aprovaram juntar as 12 representações apresentadas desde o fim de semana em um único processo.

A escolha do Delegado Olim como relator foi confirmada à CNN pela presidente do Conselho de Ética, Maria Lúcia Amary (PSDB). Integrante do colegiado, o deputado do PP não assina nenhuma das representações e evitou antecipar avaliações sobre o caso.

A partir de amanhã (10), começa a contar o prazo de cinco sessões plenárias para que Do Val apresente sua defesa. Ontem (8), ele enviou carta a deputados e deputadas estaduais na qual promete não sair candidato a um novo mandato e pede para não ser cassado, pois seria um “exagero”.

Parlamentares que receberam o documento, porém, avaliam que o apelo não teve o efeito esperado e há um ambiente majoritariamente favorável à punição mais severa – o deputado poderia ser suspenso, como foi Fernando Cury (sem partido) após ser flagrado apalpando a colega Isa Penna (PSOL) em plenário, ou alvo de advertência.

Na terça-feira, Arthur do Val pediu desfiliação no Podemos, solicitação que foi imediatamente acatada pelo partido. Ele seria alvo de um processo de expulsão da legenda.

Mais Recentes da CNN