Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CPI da Pandemia deve analisar quebra de sigilo de Wajngarten

    Senadores também poderão pedir depoimento de ex-secretário-executivo do ministério da Saúde na gestão de Eduardo Pazuello

    Juliana Lopes, da CNN, em Brasília

    Além do depoimento do ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, nesta terça-feira (18), a CPI da Pandemia deve analisar um pedido de quebra de sigilo do ex-secretário de comunicação, Fabio Wajngarten.

    O requerimento, feito pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania), inclui acesso a telefonemas, troca de mensagens na internet, além da quebra do sigilo fiscal e bancário do ex-secretário do governo Jair Bolsonaro. 

    Wajngarten esteve na CPI da Pandemia na última semana e deixou o Senado sob a suspeita de ter cometido o crime de falso testemunho ou de ter omitido dados.

    Esta é uma estratégia dos senadores para conseguir mais informações e entender a relação de Wajngarten com os filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

    A comissão visa entender, ainda, se ele sabia ou até fazia parte de um grupo de assessoramento paralelo ao governo federal. Pessoas estas que não tinham relação direta com a crise sanitária, mas estavam assessorando o governo sobre medidas de enfrentamento à Covid-19.

    A lista de pedidos, que ainda serão analisados e votados, inclui outros alvos, como o ex-secretário-executivo do ministério da Saúde, Coronel Elcio Franco. Questionamentos seriam feitos a ele sobre a compra de insumos para estados e municípios durante a gestão do ex-ministro Eduardo Pazuello.

    Há também a possibilidade de depoimento de outro secretário da pasta, Helio Angotti Neto, sobre compra de insumos.