Creio que candidatura de Simone Tebet vai até o fim, diz Temer

Senadores e ex-senadores do MDB organizaram um jantar com o ex-presidente Lula, nesta segunda-feira (11), em Brasília, para discutir as eleições deste ano

Douglas PortoLayane Serranoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O ex-presidente Michel Temer (MDB) declarou, nesta segunda-feira (11), em entrevista à CNN, que Simone Tebet (MDB) deve manter sua pré-candidatura à Presidência da República. Enquanto ela trabalha para se consolidar como a representante da terceira via, senadores e ex-senadores do MDB organizaram um jantar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Brasília.

De acordo com relatos feitos à CNN, os integrantes da sigla que devem participar do encontro fazem parte de um grupo interno que defende que a candidatura da senadora ao Palácio do Planalto só seja oficializada se, até a data limite estabelecida pela Justiça Eleitoral, a senadora consiga mostrar real viabilidade. O anfitrião da ocasião é o ex-senador Eunício Oliveira (MDB). Em fala à CNN, o político ressaltou que “não é jantar de rebeldia de ninguém”.

“Nós temos a Simone Tebet como candidata do MDB. A tarefa dela e de todos do MDB é verificar se conseguem, pelo menos, a grande maioria do MDB apoiando a Simone Tebet. Porque eu conheço bem o MDB, eu presidi durante muitos anos o partido, e compreendo essas ligações que existem com o ex-presidente Lula. Porque é interessante os partidos nacionais, eles são muito mais locais do que regionais”, afirma Temer.

“Então, muitas vezes eu sempre compreendi esse fato, as questões locais influenciam a aliança que o político local quer fazer com o candidato a presidente da República. E lá o candidato a governador, candidato a senador, também querem desfrutar dos eventuais votos positivos que um candidato tem. Isso sempre aconteceu. No MDB não é surpresa nenhuma. Mas eu creio, que na verdade, eu tenho conversado com os líderes do MDB, com o presidente Baleia Rossi. Eu creio que a candidatura da Simone Tebet vai até o fim. E, portanto, vai tentar sensibilizar o partido por inteiro”, continua.

Em nota conjunta, os partidos União Brasil, MDB, PSDB e Cidadania concordaram em anunciar no dia 18 de maio um único “candidato de consenso”.

No último domingo (10), Tebet indicou que os representantes da terceira via irão respeitar a decisão do lançamento de apenas um nome para as eleições deste ano.

“Todos nós estamos preparados, eu me sinto preparada para liderar essa legião que sei que existe por trás de nós, que não quer nem o atual governo, nem voltar ao passado. Eu, João Doria e Luciano Bivar que somos os pré-candidatos desse centro demos uma procuração simbólica aos presidentes do partido para analisarem quem será o nome. Todos nos obedeceremos a essa regra. Estamos reunidos porque o que queremos é o bem do Brasil”, disse Tebet.

“É claro que João Doria vai dizer que é pré-candidato até o final, o próprio deputado Luciano Bivar, mas todos nós temos um pacto a favor do Brasil. Estamos deixando nossos projetos pessoais porque o que interessa é o centro democrático estar no segundo turno”, continuou.

A senadora pelo Mato Grosso do Sul descartou, no entanto, o ex-juiz Sergio Moro como pré-candidato à Presidência. “Me desculpe o ministro Sergio Moro, mas hoje ele não é, por enquanto, o pré-candidato do União Brasil, que vai ter um pré-candidato que é o Luciano Bivar”, indicou Tebet.

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Veja os possíveis candidatos à Presidência da República em 2022

(*Com informações de Thais Arbex e Basília Rodrigues, da CNN)

 

Mais Recentes da CNN