Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cúpula do Cidadania afasta Roberto Freire da presidência do partido

    Ex-deputado federal, senador e ministro da Cultura, Freire estava no comando da legenda há 30 anos

    Da CNN

    A cúpula do Cidadania aprovou, neste sábado (9), o afastamento de Roberto Freire da presidência do partido, de acordo com informação da Itatiaia.

    Freire estava na presidência da legenda há 30 anos. Antes chamado Partido Popular Socialista (PPS), a agremiação mudou de nome em 2019.

    Com o afastamento, Plínio Comte Bittencourt, líder do Cidadania no Rio de Janeiro, assume a presidência da sigla. Ele foi deputado estadual entre 2003 e 2018.

    A decisão sobre Freire também implica na saída do ex-deputado federal Daniel Coelho (PE) da vice-presidência do partido.

    Em 1989, Freire disputou a Presidência da República pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB). Na década de 1990, surge o então PPS, fundado por dissidentes do PCB. O pernambucano é ex-deputado federal, senador e ministro da Cultura (durante a gestão de Michel Temer).

    Em nota, Freire comunicou sua saída do comando da legenda. Leia a íntegra abaixo:

    “Comunico minha saída da direção nacional. Desnecessário dizer que é irrevogável. Encerro, assim, uma longa vida neste partido, o único desde o PCB nos idos de 1962 do século passado.

    Com a certeza de ter contribuído para sua bela história, de forma honrada e digna, saio ressaltando os homens e mulheres que deram a vida e respeito ao partido. Penso ter honrado a todos eles, travando o bom combate até o fim.

    Fui leal aos meus princípios, aos princípios do partido e à nossa história, que, espero, não consigam desonrar. Aos amigos e companheiros leais de luta, que se somaram a mim nesse esforço, meu respeito e minha gratidão. Nestes termos, peço que tomem as devidas providências.”

    A CNN tenta contato com o Cidadania.

    “Vagabundo” e “picareta”

    No mês passado, uma reunião virtual de membros do Cidadania foi marcada por momentos de bate-boca e discussão aos gritos entre membros da sigla.

    Ao fim da reunião, foi aprovada uma resolução de parte dos integrantes do partido, para convocar o diretório nacional do Cidadania e reestruturar a executiva nacional do partido através de eleições. A proposta venceu por 13 votos a 11.

    Freire defendeu que as eleições sobre para reestruturar a executiva nacional deveriam contar com todos os membros do partido e não apenas o diretório. Ele acusou parte dos integrantes da sigla de quererem derrubá-lo para apoiar o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “Para resolver [a crise] o partido tem que ser todo chamado, e não apenas uma facção que tomou conta do partido e que acha que manda no partido. Quer mandar até no que eu penso, porque a grande reclamação não é de que o partido não cumpre o que decide, é porque eu tenho uma posição divergente de alguns que viraram lulo-petistas e que são adesistas e que eu não posso continuar sendo um crítico do governo”, disse Freire em dado momento da reunião.

    O ex-deputado Daniel Coelho saiu em defesa do presidente Roberto Freire e começou a discutir com o também ex-deputado Regis Cavalcante. “Picareta e cínico”, disse Coelho. Ao que Cavalcante respondeu: “Picareta é você, seu cachorro”. E ambos passaram a trocar ofensas como “vagabundo” e “m**da”.

    “Vocês estão querendo dar um golpe em Roberto”, acusou Coelho.

    (Publicado por Lucas Schroeder, da CNN, em São Paulo)