Daniela Lima: Decisão do STF sobre reeleição afeta correlação de força política

Se o Supremo autorizar que presidentes da Câmara e do Senado se reelejam, Rodrigo Maia 'ganhará uma boa cartada para negociar sua recondução ou sucessão'

Da CNN

Ouvir notícia

No quadro Em Off desta quinta-feira (26), na CNN Rádio, Daniela Lima analisa o impacto correlação das forças políticas do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em dezembro, da possibilidade de reeleição na presidência da Câmara e do Senado.

“Essa jogada, que vai ser desdobrada do dia 4 ao dia 11 de dezembro, é uma das mais importantes da política nessa legislatura, nesses quatro anos, e pode definir a correlação de forças no cenário nacional para a última metade do mandato do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)”, afirmou a jornalista.

Ela afirmou ainda que, nos bastidores do STF, sempre se disse que o caso só iria para julgamento quando houvesse uma maioria formada.

Assista e leia também:
Conexão CNN: Os efeitos do julgamento sobre a reeleição na Câmara e no Senado
STF julga em 04/12 ação sobre reeleição de presidentes da Câmara e do Senado
STF deve dizer que regimento não trava reeleição e abre caminho para Maia e Alcolumbre

“A aposta é que já existem seis votos para permitir a reeleição na Câmara e no Senado entendendo que, quando a Constituição foi alterada no governo FHC autorizando a reeleição, o regimento interno da Câmara e do Senado ficou defasado por se basear em uma norma que não existe mais na Constituição”, completou.

Para Daniela, se essa for, de fato, a decisão do Supremo, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) “ganhará uma boa cartada para negociar tanto a sua recondução quando para conduzir um processo de escolha de seu sucessor”.

Ela também destacou a preocupação de alguns setores que consideram não ser ideal o Supremo discutir essa questão pela possibilidade de abrir uma brecha para reeleições sucessivas para outros poderes ou, outros cargos.

Em off
Quadro Em Off, com Daniela Lima, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil

Mais Recentes da CNN