Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Defesa de Ronnie Lessa foi pega “de surpresa” com delação de Élcio Queiroz no caso Marielle

    Queiroz disse à polícia que Lessa é o autor dos disparos que mataram a vereadora, em 2018

    Leandro Resende

    A equipe de advogados que defende o ex-policial militar Ronnie Lessa foi pega de surpresa com a revelação de que Élcio Queiroz fez uma delação premiada e afirmou que Lessa é o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco (PSOL) em 2018.

    “Estamos avaliando, precisamos conversar com o nosso cliente. Há uma suposta reviravolta, porque Ronnie sempre negou de forma veemente envolvimento com o crime”, afirmou à CNN o advogado Fernando Santana, que defende Ronnie Lessa.

    Presos desde março de 2019, os réus por terem participado do crime foram procurados por praticamente todos os grupos de investigadores que estiveram à frente do caso para delatar.

    A primeira proposta foi feita em novembro de 2019, em uma reunião que durou dez horas no presídio federal de Porto Velho, em Rondônia. Na ocasião, a Polícia Civil do Rio ofereceu a Élcio e Ronnie a possibilidade de reduzirem suas penas caso entregassem o nome do mandante do crime.

    Ronnie Lessa rechaçou a ideia de imediato, assim como Queiroz. Depois de tantas ofertas, neste ano Élcio Queiroz topou fechar a delação porque, segundo investigadores, se sentiu “abandonado” por Lessa e sua família duas vezes: a PF apresentou a Queiroz uma prova irrefutável de que Lessa havia pesquisado informações sobre a vereadora Marielle –algo que o ex-PM sempre negou.

    Queiroz também se sentiu abandonado quando soube, pela PF, que a esposa de Ronnie Lessa havia dito aos investigadores federais que a dupla não passara o dia do crime em sua casa, derrubando, assim, a versão combinada dos dois.

    Relembre quem foi Marielle Franco: