DF fecha todas as atividades não-essenciais após alta de casos de Covid-19

Após decisão do governador Ibaneis Rocha (MDB), presidentes da Câmara e do Senado anunciam medidas de restrição nos prédios do Congresso Nacional

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

 O Governo do Distrito Federal decidiu fechar o comércio e demais atividades não essenciais durante todo o dia.

A decisão foi tomada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) com o avanço da pandemia de Covid-19. No início da noite desta sexta-feira (26), apenas três Unidades de Terapia Intensiva (UTI) estavam disponíveis no DF.

“Fecharemos tudo durante todo o dia, não só das 20h às 5h. Só serviços essenciais ficarão abertos”, afirmou Ibaneis à CNN. A medida vale a partir de 0h01 de domingo (28).

 

Após o decreto do governador, os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), anunciaram medidas para seguir as determinações do governo.

“O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, conversou ao telefone com o governador Ibanes Rocha, que informou sobre o lockdown no DF e recomendou a restrição da circulação de visitantes na Câmara dos Deputados. O presidente Arthur Lira concordou com a recomendação e enviou a decisão ao primeiro-secretário da Casa para formalização do ato”, disse a Câmara, em nota.

Em decreto, Rodrigo Pacheco decidiu proibir o acesso de visitantes às dependências do Senado durante o período em que estiver em vigor o lockdown no Distrito Federal.

Medidas restrititvas

Inicialmente, a ideia do governador era fechar o comércio do Distrito Federal apenas à noite e na próxima semana. No entanto, segundo ele, ainda nesta sexta-feira um decreto será publicado no Diário Oficial do DF determinando o fechamento durante todo o dia. 

Ainda de acordo com o governador do Distrito Federal, as escolas particulares, que atualmente têm autorização para funcionar, precisarão fechar as portas.

Mais Recentes da CNN