Diretor da PF foi comunicado sobre troca e deve seguir para missão fora do país

Rolando Alexandre assumiu o cargo de diretor em maio do ano passado. O nome dele, no entanto, não era a primeira opção do presidente Jair Bolsonaro

Rachel Vargas e Igor Gadelha, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre, já foi informado que deixará o cargo. Fontes ligadas ao delegado disseram à CNN que o aviso foi feito pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, na segunda-feira (5). A expectativa é de que, assim que for oficializada a substituição, Rolando siga para uma missão fora do país.

Rolando assumiu o cargo de diretor em maio do ano passado. O nome dele, no entanto, não era a primeira opção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que chegou a nomear Alexandre Ramagem, cuja nomeação foi barrada por uma decisão do ministro STF, Alexandre de Moraes.

A troca no comando da Polícia Federal foi o estopim para a saída de Sérgio Moro do governo. O então Ministro da Justiça tentou fazer mudanças na corporação, mas não teve o aval do presidente da República. 

Bolsonaro durante assinatura do Termo de Posse de Rolando Alexandre.
(Brasília – DF, 04/05/2020) Presidente da República Jair Bolsonaro, durante assinatura do Termo de Posse do senhor Rolando Alexandre de Souza, Diretor-Geral da Polícia Federal.
Foto: Isac Nóbrega/PR

 

Moro pediu demissão em meio a várias acusações de que Bolsonaro estaria tentando interferir política e pessoalmente na PF, o que resultou na abertura do inquérito que investiga Moro e Bolsonaro.

Mais Recentes da CNN